Mãe de Geddel diz que ex-assessor que falou de dinheiro em closet mente

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

  • Divulgação

    Dinheiro achado pela PF tinha impressões digitais de Geddel e Brandão

    Dinheiro achado pela PF tinha impressões digitais de Geddel e Brandão

A mãe do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) informou ao STF (Supremo Tribunal Federal), por meio de seu advogado, que o ex-assessor parlamentar dos Vieira Lima, Job Ribeiro Brandão, afirmou "inverdades" em seu depoimento. Marluce Quadros Vieira Lima disse também estar à disposição para prestar esclarecimentos.

A manifestação da mãe do ex-ministro foi apresentada pelo advogado Gamil Föppel, que também atua na defesa de Geddel, ao gabinete do ministro do STF Edson Fachin, relator da investigação contra o peemedebista.

Em depoimento à Polícia Federal, Brandão, que trabalhou com o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão de Geddel, afirmou que dinheiro em espécie era guardado em malas e caixas no closet da mãe dos políticos.

"A peticionária [Marluce] teve ciência, através da imprensa, da veiculação de diversas inverdades no bojo do depoimento de Job Ribeiro Brandão", diz a petição assinada por Föppel.

"Destarte, em vista do que fora exaustivamente veiculado pela imprensa, a peticionária informa ter interesse em prestar todos os esclarecimentos eventualmente necessários, a fim de restabelecer a verdade", escreve o advogado na manifestação ao STF.

Segundo Brandão, a família de Geddel "possuía muito dinheiro guardado no apartamento de Marluce Vieira Lima", em Salvador. A pedido de Geddel e de Lúcio, Brandão disse que realizava a contagem de dinheiro quando as notas chegavam no apartamento.

O dinheiro, segundo ele, ficava guardado no closet do quarto da mãe dos irmãos Vieira Lima, em caixas e malas até o início de 2016. Ele contou que quando o pai de Lúcio e Geddel morreu, no entanto, o dinheiro foi levado para outro lugar.

O ex-assessor disse que não tinha conhecimento do local até a busca e apreensão feita em setembro deste ano na Operação Tesouro Perdido.

Ele disse que nunca esteve no apartamento onde a Polícia Federal encontrou o equivalente a R$ 51 milhões em dinheiro vivo, mas pela foto "as caixas e uma das malas pretas se assemelham com as que costumavam ficar guardadas" no apartamento da mãe de Geddel e Lúcio.

A Polícia Federal encontrou impressões digitais de Brandão nos sacos plásticos que envolviam as notas. Impressões digitais de Geddel e de um aliado do peemedebista também foram encontradas nos sacos plásticos.

O dono do apartamento, Silvio da Silveira, afirmou à Polícia Federal que entregou as chaves do imóvel a Lúcio Vieira Lima. O deputado federal teria pedido o apartamento emprestado com o argumento de que precisava guardar documentos da família.

Brandão tem intenção de fazer um acordo de colaboração premiada. Ele virou alvo da Tesouro Perdido após a PF identificar suas digitais. O ex-ministro e o deputado Lúcio Vieira Lima são investigados pelo crime de lavagem de dinheiro.

Geddel é investigado pelo recebimento de propina por parte de empresários em troca de facilitação ou liberação de créditos da Caixa Econômica Federal, banco no qual ele foi vice-presidente de Pessoa Jurídica durante parte do primeiro governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Segundo o delator Lúcio Funaro, Geddel teria recebido ao menos R$ 20 milhões em propinas. Funaro disse que o ex-ministro recebia dinheiro em malas entregues pessoalmente por ele.

Os advogados do ex-ministro e de Lúcio Vieira Lima têm afirmado que eles jamais participaram de qualquer esquema ilegal em órgãos públicos.

A defesa dos Vieira Lima ainda não se manifestou sobre a suposta relação deles com o dinheiro encontrado no apartamento e tem dito que irá se pronunciar após ter acesso à íntegra dos autos da investigação. (Com Estadão Conteúdo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos