Deputado que confundiu Brecht com 'Bertoldo Brecha' presidirá Comissão de Ética da Alerj

Do UOL, no Rio

O deputado André Lazaroni (PMDB), que se licenciou do cargo de secretário de Estado de Cultura para voltar à Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) e votar em favor de colegas presos na Operação Lava Jato, foi eleito nesta terça-feira (28) para presidir a Comissão de Ética da Casa.

O parlamentar, que, em discurso em 17 de novembro --quando a Alerj revogou a prisão dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB--, confundiu o dramaturgo alemão Bertold Brecht com o personagem humorístico "Bertoldo Brecha", da Escolinha do Professor Raimundo, recebeu cinco dos seis votos possíveis.

Votaram a favor de Lazaroni os deputados Iranildo Campos (PSD), Comte Bittencourt (PPS), Marcos Muller (PHS), Rosenverg Reis (PMDB) e o do próprio eleito. Já Carlos Osorio (PSDB) se absteve.

Lazaroni vai substituir Edson Albertassi (PMDB), ex-líder do governo e um dos três peemedebistas presos neste mês por suspeita de corrupção, lavagem de dinheiro e outros crimes apurados pela Lava Jato.

O novo presidente da Comissão de Ética havia sido exonerado da Secretaria de Estado de Cultura pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), em 13 de novembro, a fim de garantir a aprovação da indicação de Albertassi para o TCE (Tribunal de Contas do Estado). No entanto, a votação acabou suspensa pela Justiça em razão das denúncias envolvendo Albertassi.

O trio do PMDB foi preso pela primeira vez em 16 de novembro, quando a Polícia Federal, o MPF (Ministério Público Federal) e a Receita Federal realizaram a Operação Cadeia Velha, etapa da Lava Jato. Um dia depois, no plenário da Alerj, a maioria dos deputados votou pela soltura dos colegas, o que ocorreu no mesmo dia.

Na ocasião, Lazaroni foi à tribuna e fez uma contundente defesa dos correligionários. Durante o discurso, ele disse: "finalizo, como diria Bertoldo Brecha, ai do povo... Brecha... Brecht... Bertoldo Brestes... ai do povo que precisa de heróis". A citação correta do dramaturgo alemão é: "infeliz a nação que precisa de heróis."

Ainda de acordo com o ex-secretário de Cultura, o voto pela prisão seria "político". "Não estou aqui para julgar colega. O que decidiremos é se respeitamos a Constituição Federal."

Na semana seguinte, o TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) derrubou a decisão do Parlamento e restabeleceu a prisão.

Picciani, Melo e Albertassi estão detidos na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na zona norte carioca --mesmo presídio onde estão o ex-governador Sérgio Cabral, o empresário do setor de transporte Jacob Barata Filho, entre outros investigados na Lava Jato.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos