PUBLICIDADE
Topo

Política

Renato Aragão ganha medalha de Temer e diz ter achado que era engano

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

19/12/2017 17h57Atualizada em 19/12/2017 20h37

O presidente da República, Michel Temer (PMDB), concedeu nesta terça-feira (19) a medalha da Ordem do Mérito Cultural ao comediante Renato Aragão, mais conhecido como Didi, e a outras 31 personalidades e instituições brasileiras que se destacaram na área da cultura do país nos últimos anos.

Outros destaques entre os agraciados foram o ex-diretor da Rede Globo José Bonifácio de Oliveira Sobrinho e o grupo pernambucano Galo da Madrugada.

Segundo Didi, foi uma honra ser escolhido para receber a condecoração. Ele contou que, quando recebeu a notícia, pensou ter sido um “engano”. “Quando eu recebi a notícia pensei que era engano. Será que fiz alguma coisa errada? Eu fiz tanta coisa na minha vida, muitas alegrias, mas essa é demais. Acho que daqui para a frente uma outra igual a essa vai ser difícil”, falou.

Parte da classe artística se posiciona contra o presidente Michel Temer e questiona sua legitimidade no poder. Questionado se havia algum constrangimento ou problema político por parte dele, Didi negou e afirmou já ter ido ao Palácio do Planalto se encontrar com outros mandatários, como Fernando Henrique Cardoso.

“Nada [de problema político]. Estou aqui a convite do Ministério da Cultura. Pode ser com qualquer presidente”, disse.

Com a presença da primeira-dama Marcela Temer e do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, a cerimônia no Palácio do Planalto contou com apresentações do Galo da Madrugada, Orquestra Soncietà e do coral Tutti Choir – os dois últimos de Brasília. Em edições passadas, houve apresentações de Fafá de Belém e Neguinho da Beija-Flor (2016), Caetano Veloso (2015) e Vanessa da Mata (2014).

A edição deste ano teve como tema "Cultura, Inovação e Empreendedorismo” e foi a primeira vez desde 1995 que o Planalto não homenageou uma personalidade em específico. Segundo o governo, a opção foi por “homenagear toda a cadeia produtiva da cultura”.

Política