Topo

Cotado para concorrer à Presidência, Joaquim Barbosa se filia ao PSB nesta sexta (6)

Bruno Poletti/Folhapress/9.out.2016
Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Imagem: Bruno Poletti/Folhapress/9.out.2016

Gustavo Maia

Do UOL, em Brasília

06/04/2018 04h00Atualizada em 09/04/2018 14h53

O ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa vai se filiar nesta sexta-feira (6) ao PSB. A formalização deve acontecer à tarde, em São Paulo, segundo o presidente do partido, Carlos Siqueira. Não haverá, no entanto, nenhum ato político para marcar a entrada dele na sigla.

"Nós vamos fazer um ato meramente formal, para cumprir a legislação, e no momento que nós combinarmos faremos o ato político", declarou o dirigente partidário.

Barbosa é cotado para se candidatar à Presidência da República pelo PSB, mas ainda não bateu o martelo sobre a candidatura. Os partidos têm até 15 de agosto para apresentarem junto à Justiça Eleitoral o pedido de registro de candidatos. Segundo Siqueira, "quem tem prazo não tem pressa".

A filiação vai ocorrer um dia antes do fim do prazo final para que quem pretende concorrer aos cargos eletivos nas próximas eleições esteja filiado a um partido político.

Leia também:

O ato vai coincidir com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), decretada nesta quinta (5) pelo juiz federal Sérgio Moro. Lula é o pré-candidato do PT à Presidência.

Ao UOL, o presidente do PSB afirmou que não teria condição de fazer um ato político para a filiação porque a data coincidiu com a posse do atual vice-governador de São Paulo, Márcio França, no Palácio dos Bandeirantes, marcada para as 16h30. França vai assumir o governo graças à renúncia de Geraldo Alckmin (PSDB), que vai concorrer ao Palácio do Planalto.

Barbosa se filiará perante o Diretório Nacional do PSB, ato previsto no estatuto do partido para "personalidades" como ele.

Após meses de negociações, a filiação do ex-ministro do STF foi acertada na semana passada, durante café da manhã em Brasília. Participaram do encontro Barbosa, Siqueira e o recém-filiado deputado federal Alessandro Molon, presidente do diretório estadual da legenda no Rio de Janeiro.

O UOL ouviu de lideranças do partido do Congresso que não há mais qualquer resistência interna no PSB aos planos presidenciais de Barbosa, que integrou o Supremo entre 2003 e 2014, tendo presidido a Corte nos últimos dois anos como ministro.

Indicado por Lula para o STF, Barbosa se destacou no julgamento do escândalo conhecido como mensalão, que atingiu lideranças petistas. Atualmente, aos 63 anos, ele atua como advogado.

Na última pesquisa Datafolha, divulgada em 31 de janeiro, Barbosa apareceu com 3% a 5% das intenções de voto, em diferentes cenários com candidatos diversos.