Lula dorme pouco e recebe aliados no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Janaina Garcia e Luís Adorno

Do UOL, em São Bernardo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dormiu poucas horas ao longo da madrugada desta sexta-feira (6), no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo).

O petista foi para o local na noite do dia anterior, logo após o juiz federal Sergio Moro determinar que o petista se entregue à PF (Polícia Federal) de Curitiba (PR) até 17h desta sexta-feira.

Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

Lula dormiu no segundo dos quatro andares do prédio do sindicato entre as primeiras horas da madrugada de hoje até aproximadamente às 7h.

Segundo sua assessoria de imprensa, ele acordou bem-humorado e recebe, pela manhã, amigos de longa data, que vieram prestar solidariedade.

Desde que acordou, hoje, Lula tem recebido o apoio de militantes na sede do sindicato.

De "tô tranquilo" a "pronto para prisão": o que Lula já disse da condenação

Entre os amigos, estavam políticos como os ex-ministros Celso Amorim e Eleonora Menicucci, além do senador Lindberg Farias (PT-RJ), o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) e até o namorado da apresentadora Fatima Bernardes, Túlio Gadelha, que é do PDT.

Também foram conversar com Lula o jornalista Ricardo Kotscho, secretário de imprensa de Lula em seu primeiro governo, e integrantes da TVT (TV dos Trabalhadores), ligada ao PT.
Seguranças na porta do segundo andar impediam a entrada dos não autorizados. Panos vermelhos, verdes e brancos tapava a visualização do andar por inteiro.

Enquanto isso, militantes apoiam o ex-presidente do lado de fora e protestam contra a prisão dele, pedindo que Lula não se entregue. A ideia dos militantes é de que policiais federais venham até o sindicato para tentar levá-lo.

O dia amanheceu com poucas pessoas no entorno do sindicato, mas o público foi aumentando de hora em hora. Parte dos militantes tentam atrapalhar o trabalho da imprensa sob o argumento de que os veículos de comunicação forçaram a condenação de Lula.

Um militante que se disse amigo pessoal de Lula, e que esteve com o ex-presidente no segundo andar, disse que o petista está se dizendo bem, mas, que por dentro, mal.

Segundo ele, Lula está ouvindo pedidos para resistir no sindicato e não se entregar. No entanto, de acordo com o militante, ele ainda estuda a hipótese.

Em entrevista a Kotscho Lula teria afirmado que resistiria e não iria se entregar em Curitiba.

Paulo Teixeira afirmou, no entanto, estar confiante em uma liminar a favor de Lula durante a tarde para evitar a prisão imediata.

Segundo ele, vai ser a partir dessa liminar que vão decidir se haverá resistência ou se Lula vai se entregar. "Lula é um homem resistente. Ele está bem", disse.

Tesoureiro da Executiva nacional do PT, Emídio Souza disse há pouco, antes de se encontrar Lula, que o ex-presidente "não tem condição nenhuma de ir até Curitiba porque o Moro bloqueou os bens dele".

"O prazo para que ele se apresente e até 17h, em um processo onde não foi respeitado o último grau de recurso. Moro cometeu mais uma ilegalidade", afirmou. "Depois das 17h, o problema é da Justiça e da Polícia Federal".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos