Operação Lava Jato

"Ele ficou muito feliz e comovido", diz advogado de Cabral sobre retorno de ex-governador ao Rio

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, no Rio

  • Pedro Teixeira/ Agência O Globo

    Sérgio Cabral (MDB), ex-governador do Rio de Janeiro, é réu em 22 ações penais da Lava Jato

    Sérgio Cabral (MDB), ex-governador do Rio de Janeiro, é réu em 22 ações penais da Lava Jato

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) ficou "muito feliz e comovido" ao receber a notícia, na terça-feira (10), de que voltará ao sistema prisional fluminense, afirmou nesta quarta (11) o advogado do acusado, Rodrigo Roca. A transferência foi autorizada, a pedido da defesa, pela Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal).

Cabral havia sido deslocado do Rio para Curitiba, por decisão do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações penais da Operação Lava Jato em primeiro grau no Paraná. O magistrado concordou com um pedido do MPF (Ministério Público Federal), que alegou que a cadeia de Benfica (na zona norte carioca), onde o político estava, proporcionava regalias como sala de cinema e acesso a alimentos proibidos.

A volta para o Rio foi autorizada porque o advogado de Cabral argumentou que a defesa dele estava sendo prejudicada. Preso no Paraná, ele vinha sendo ouvido pela Justiça por meio de videoconferências. No Rio, poderá comparecer pessoalmente diante do juiz.

O advogado Roca explicou que Cabral deve chegar à capital fluminense na quinta-feira (12) e que o retorno a Benfica é "bem provável". A decisão sobre o destino final do ex-governador cabe à Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária). Na tarde desta quarta, representantes do órgão participavam de reunião para discutir o assunto. O martelo deverá ser batido até o fim do dia.

Ele [Cabral] ficou muito feliz e comovido com a notícia, principalmente porque poderá ficar mais próximo da família. E vai poder voltar a se defender a contento, como qualquer outra pessoa.
Rodrigo Roca, advogado do ex-governador

No âmbito da Lava Jato, Cabral é réu em 22 ações penais, tanto no Rio (7ª Vara Federal, do juiz Marcelo Bretas) quanto em Curitiba (13ª Vara Federal). Por esse motivo foi possível a transferência dele para o Complexo Médico de Pinhais, na região metropolitana da capital paranaense, há três meses.

O político responde a acusações de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. De acordo com a defesa, ele nega a autoria dos crimes, mas admite ter usado dinheiro de caixa dois ("sobras de campanha") para fins pessoais. O ex-governador já foi condenado cinco vezes, e as penas somam cem anos de reclusão.

Sala de cinema

Em outubro do ano passado, a Cadeia Pública José Frederico Marques, conhecida como cadeia de Benfica, ganhou uma sala de cinema, com instalação de um home theater supostamente doado ao local por duas igrejas evangélicas. O assunto teve grande repercussão à época, e Cabral passou a ser investigado por conta da suspeita de regalia.

Após a polêmica, o equipamento --que incluía um tocador de blue ray, TV de LED 65 polegadas, caixas de som e 160 CDs-- foi  doado para um orfanato em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na ocasião, o Ministério Público do Estado iniciou investigação para apurar a existência de mordomias e irregularidades na prisão.

Em dezembro, o MP denunciou o ex-governador por falsidade material e ideológica por conta da cinemateca. Segundo a denúncia, Cabral e outros presos encomendaram esses equipamentos usando o nome de uma mulher e de duas igrejas, que teriam simulado uma doação. À época, a defesa de Cabral afirmou que a denúncia era "inconsistente e sem base legal".

Foto: Reprodução/Google Street View
O MP acusa Cabral de ter encomendado os equipamentos levados para Benfica

Camarões e bolinho de bacalhau

Durante uma vistoria realizada em novembro de 2017, fiscais do Ministério Público do Estado apreenderam alimentos supostamente proibidos que seriam destinados ao consumo de Cabral e de outros presos na cadeia de Benfica.

Havia camarões, bolinhos de bacalhau e queijos, além de iogurtes e refrigerantes, em tonéis com gelo.

Cabral foi chamado pela direção da cadeia para acompanhar a inspeção e responder se os alimentos eram para ele. Imagens veiculadas pelo canal de TV a cabo "GloboNews" mostraram o ex-governador com uma expressão triste diante da descoberta. Havia pelo menos um tonel com gelo com o nome de Cabral em cima. 

Na ocasião, a defesa de o ex-governador criticou a ação do MP. "Sérgio Cabral já é perseguido até pelo que come. Daqui a pouco será pelo que pensa. É lamentável se ver a mobilização de todo o aparato estatal em perseguição ao cardápio de um detento."

Divulgação/MP
Suíte para visitas íntimas da cadeia José Frederico Marques
Motel

Em mais uma fiscalização do MP, procuradores encontraram seis suítes decoradas com paredes coloridas e até com o desenho de um coração destinadas a visitas íntimas.

Em fotos feitas durante a vistoria, é possível ver um quarto semelhante ao de um motel, com uma cama de casal, paredes pintadas de rosa e verde e luzes vermelhas. Os quartos também foram equipados com televisões e piso de porcelanato. No anexo, havia um banheiro com chuveiro e cortina de plástico.

Segundo o secretário estadual de Administração Penitenciária, David Anthony, a decoração dos espaços para visita íntima e os objetos do local "não são normais em outras unidades". A investigação está em andamento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos