PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro deixa Hospital Albert Einstein após exames pré-operatórios

REUTERS/Adriano Machado
Imagem: REUTERS/Adriano Machado

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

23/11/2018 11h39Atualizada em 23/11/2018 14h48

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deixou por volta das 14h20 desta sexta-feira (23) o hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, onde realizou exames pré-operatórios.

Os exames estiveram sob comando do cirurgião Antonio Luiz de Vasconcelos Macedo, que acompanha o estado clínico de Bolsonaro desde o ataque a faca. À reportagem, o médico afirmou que os exames de hoje vão definir se a cirurgia para retirar a bolsa de colostomia poderá ocorrer.

O hospital não informou os resultados dos exames. A assessoria de imprensa do Einstein afirmou que um boletim médico será divulgado, informando o estado de saúde e se a cirurgia está confirmada no dia 12 de dezembro, se o paciente autorizar.

Até 14h30, o boletim ainda não havia sido divulgado. O presidente eleito não falou com a imprensa em São Paulo.

Bolsonaro ficou cerca de quatro horas no hospital, de onde partiu direto para o aeroporto de Congonhas.

A mesma escolta que o trouxe até o hospital o acompanhou na volta ao aeroporto, de onde deve embarcar para o Rio de Janeiro.

Policiais federais fizeram varredura no aeroporto antes de Bolsonaro chegar ao local. O mesmo procedimento de segurança havia sido feito pela manhã, no hospital.

Terceira operação

Esta deve ser a terceira cirurgia do presidente eleito desde que foi atacado, durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG), em 6 de setembro. Ele foi submetido a uma cirurgia de grande porte na Santa Casa da cidade mineira e, depois, no Einstein, passou por outra cirurgia emergencial de grande porte. A terceira é considerada de menor risco.

Durante o procedimento cirúrgico que deve ocorrer em 12 de dezembro, o abdome de Bolsonaro será aberto novamente para que as alças do intestino grosso sejam unidas e, com isso, o trânsito intestinal volte ao normal. Assim, o paciente deixará de usar a bolsa coletora de fezes.

Inicialmente, essa cirurgia estava planejada para ocorrer em janeiro. Ela foi antecipada para 12 de dezembro, 20 dias antes da posse, para que ele se recupere. O adiantamento da cirurgia alterou também a data da diplomação de Bolsonaro, feita pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Inicialmente, ocorreria em 19 de dezembro, mas foi adiantada para o dia 10 do mesmo mês.

23.nov.2018 - Comitiva do presidente eleito Jair Bolsonaro deixa o Aeroporto de Congonhas, na zona Sul de São Paulo (SP) - Renato S. Cerqueira/Estadão Conteúdo - Renato S. Cerqueira/Estadão Conteúdo
23.nov.2018 - Comitiva do presidente eleito Jair Bolsonaro deixa o Aeroporto de Congonhas, na zona Sul de São Paulo (SP)
Imagem: Renato S. Cerqueira/Estadão Conteúdo

Recuperação de até 3 semanas

Após a cirurgia, o período de recuperação deve durar entre duas e três semanas —Bolsonaro continuará sendo acompanhado pelo cirurgião. Entre as etapas de recuperação, o presidente eleito deve permanecer cerca de uma semana internado e, depois, mais uma ou duas de repouso, em casa.

Bolsonaro foi atacado com uma faca por Adélio Bispo Oliveira, em 6 de setembro. Um laudo psiquiátrico elaborado por um profissional particular a pedido da defesa do acusado, que confessou o ataque, atestou que ele tem um transtorno mental grave. Ele está recluso no presídio federal de Campo Grande (MS). (*Com informações do Estadão Conteúdo)

Política