PUBLICIDADE
Topo

Política

Padre diz que Lula sofre por não se comunicar e que vê vídeos com pen drive

14.nov.2018 - Lula depõe no processo da Lava Jato sobre o sítio de Atibaia (SP) - Reprodução/Justiça Federal do Paraná
14.nov.2018 - Lula depõe no processo da Lava Jato sobre o sítio de Atibaia (SP) Imagem: Reprodução/Justiça Federal do Paraná

Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

26/11/2018 19h19

Preso há quase oito meses, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está "muito bem", mas sofre por ter restrições para se comunicar, disse nesta segunda-feira (26) o sociólogo e padre Pedrinho Guareschi após visitar o petista na sede da Polícia Federal em Curitiba.

"Ele conversa com todos os carcereiros", relatou o padre a jornalistas. "Ele é um homem de falar. Agora, deixar ele trancado, sem poder dar entrevista, sem poder se comunicar, esse é o sofrimento dele."

A juíza responsável pela execução da pena de Lula, Carolina Lebbos, já negou uma série de pedidos feitos por veículos de imprensa para entrevistar Lula. Em outubro, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, negou um pedido da Folha de S. Paulo.

Na quinta-feira (22), o ex-ministro Fernando Haddad, que disputou a Presidência da República pelo PT nas eleições deste ano, visitou Lula e disse que o ex-presidente sentia "o peso" da prisão. Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, a imagem de Lula "envelhecido" nos depoimentos do processo sobre o sítio de Atibaia, no dia 14, fez juízes de tribunais superiores discutirem a ideia de uma prisão domiciliar para o ex-presidente, que tem 73 anos.

Hoje, o padre Guareschi foi enfático ao rebater versões de que Lula estaria abatido.

"Eu estava preocupado porque sussurraram por aí, depois da última entrevista, que ele [Lula] estava assim um pouco assim 'down'. Não. Não. Esse homem levanta 6 horas, faz quase duas horas de ginástica", disse. "Ele está bem, está ótimo, está muito bem, muito bem, muito bem. Esse homem vai longe."

Vídeos por pen drive

Lula cumpre pena não em uma cela comum, mas em uma sala adaptada para recebê-lo. Por razões de saúde, o ex-presidente conseguiu na Justiça o direito de ter uma esteira dentro da sala, onde também pode assistir televisão.

Segundo Guareschi, o ex-presidente usa o aparelho para assistir vídeos da militância acampada em Curitiba. As imagens seriam enviadas por meio de pen drives.

"Os vídeos fazem bem. É bom saber: ele coloca o pen drive na televisão e assiste. Não tem internet, não tem nada", afirmou o padre. 

Lula cumpre desde abril uma pena de 12 anos e um mês de prisão por causa da condenação em segunda instância no caso do tríplex, da Operação Lava Jato. O ex-presidente foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Sua defesa afirma que não há provas dos crimes imputados a ele.

O ex-presidente é réu em outros seis processos na Justiça Federal. Nesta segunda, ele foi denunciado pelo MPF-SP (Ministério Público Federal em São Paulo) por lavagem de dinheiro em um suposto esquema de tráfico de influência na Guiné Equatorial, país da costa oeste da África. 

Segundo a defesa de Lula, a denúncia busca "transformar uma doação recebida de uma empresa privada pelo Instituto Lula, devidamente contabilizada e declarada às autoridades, em tráfico internacional de influência e lavagem de dinheiro." Os advogados disseram esperar que a Justiça Federal paulista rejeite a acusação.

Política