PUBLICIDADE
Topo

Política

Witzel compara problema de segurança do Rio ao de Israel: "Muito parecidos"

10.dez.2018 - Governador eleito, Wilson Witzel (PSC), em visita a Israel - Ricardo Minussi/Divulgação
10.dez.2018 - Governador eleito, Wilson Witzel (PSC), em visita a Israel Imagem: Ricardo Minussi/Divulgação

Janaina Garcia*

Do UOL, em São Paulo

10/12/2018 17h17Atualizada em 10/12/2018 21h14

Em visita a Israel, o governador eleito, Wilson Witzel (PSC), afirmou o estado do Rio vai firmar convênios de cooperação técnica com governo israelense na área de segurança pública e afirmou que os problemas de segurança do Rio são "muito parecidos" com os do país.

"Os problemas que existem em Israel são muito parecidos com os que nós temos hoje no estado do Rio de Janeiro, temos grupos armados similares a grupos terroristas. Organizações criminosas que estão cooptando áreas do nosso território e que as utilizam para o comércio de drogas e fazem com que as pessoas que lá vivem sejam submetidas a todo tipo de violência", afirmou o futuro governador em entrevista na frente do Knesset, o Parlamento israelense., em Jerusalém.

Questionado sobre se vê uma relação entre as táticas aplicadas no combate a ações terroristas em Israel e seu possível uso no Rio de Janeiro, Witzel ressaltou que não as considera apenas válidas em guerras, mas em um cenário como o do combate ao narcotráfico.

"Você tem várias populações de origens diversas que estão em áreas de conflito. Não é uma técnica de guerra que se utiliza para combater o terrorismo. São utilizadas técnicas mais aprimoradas para evitar que as pessoas que estejam ao redor sofram", disse.

"O terrorismo é muito semelhante ao crime organizado, e por isso as técnicas utilizadas não são de guerra, são de neutralização das ameaças que precisam ter um certo protocolo, mas precisam de frações de segundo para se tormar uma decisão", acrescentou.

De acordo com Witzel, os convênios com o Ministério da Defesa Interna e o Exército israelenses servirão, inicialmente, para o treinamento de policiais no combate ao crime e para a “troca de informações” contra o terrorismo – prática que, para o futuro governador, é “muito semelhante ao crime organizado” praticado pelo tráfico no Rio.

“Agora é momento de conversas, mas já em janeiro pretendo retornar e assinar convênios com o Ministério da Defesa [de Israel] para treinamento de policiais e troca de informações”, disse. Witzel falou a jornalistas nesta segunda em seu último dia de viagem por Jerusalém, onde passou seis dias em encontros com integrantes de instituições dos setores de segurança, saúde e tecnologia do país.

Nesse domingo (9), Witzel se encontrou com o ministro da Defesa Interna de Israel, Gilad  Erdan, para discutir os termos do acordo. “Há semelhanças entre o modo de atuação das fações criminosas do Rio com alguns dos grupos terroristas daqui”, afirmou o futuro governador. Ele esteve acompanhado de assessores, representantes do Ministério Público do Rio e do embaixador brasileiro em Israel, Paulo César Vasconcellos. (*Com informações da EFE)

Política