Topo

Posse de Jair Bolsonaro


Sarney e Collor chegam para posse de Bolsonaro; Lula não foi convidado

Luciana Amaral e Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

01/01/2019 12h04Atualizada em 01/01/2019 14h29

O senador e ex-presidente Fernando Collor (PTC-AL) foi a primeira autoridade a chegar no Congresso Nacional nesta terça-feira (1º) para a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). O ex-presidente José Sarney (MDB) também chegou ao Congresso pela chapelaria. Discreto, preferiu não falar com a imprensa e subiu em um dos elevadores para o salão azul do Senado. Sarney deixou o Senado em 2015, mas continua a ter participação ativa nas decisões do partido. Ele também tem presença confirmada no evento que ocorrerá no Palácio do Planalto.

Os nomes de ambos com as respectivas mulheres estão na primeira fila das cadeiras para convidados no Salão Nobre do Palácio do Planalto, sede do Executivo e onde acontecerá parte das solenidades.

A chegada de autoridades estava prevista prevista para as 13h, mas Collor chegou na chapelaria da sede do Legislativo às 12h58. O deputado Baleia Rossi (MDB-SP) chegou em seguida. Pelo local devem passar parlamentares, ministros do governo Michel Temer e os futuros ministros escolhidos pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro.

Todos os ex-presidentes vivos, menos Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foram convidados, de acordo com o cerimonial do Ministério das Relações Exteriores, responsável pelos convites. Ou seja, além de Sarney e Collor, foram contatados Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Os nomes destes últimos não foram encontrados nas cadeiras reservadas no local.

Ainda segundo o ministério, Lula não foi convidado por estar preso e, portanto, impossibilitado de comparecer a um evento externo. O petista está na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba desde abril de 2018 após ser condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Também na primeira fila estão as cadeiras reservadas à futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, à mulher do futuro vice-presidente, Paula Mourão, e aos demais familiares de Jair Bolsonaro, onde deverão ficar seus cinco filhos. Logo atrás, nas segunda e terceira fileiras de parte do espaço, estão as cadeiras dos ministros de Bolsonaro.

Outras áreas são destinadas a governadores, prefeitos de capitais, representantes de agências nacionais e internacionais, além de presidentes de partidos.

Cronograma da posse

  • 14h45 - Desfile do cortejo presidencial da Catedral Metropolitana de Brasília até o Congresso Nacional
  • 15h - Abertura da Sessão Solene de Posse no Plenário da Câmara dos Deputados
  • 15h45 - Término da sessão solene na Câmara dos Deputados
  • 16h10 - Cerimônia de Execução do Hino Nacional, seguida de salva de tiros e revista de tropas, na rampa do Congresso Nacional
  • 16h25 - Desfile do cortejo presidencial do Congresso Nacional para o Palácio do Planalto
  • 16h30 - Chegada do cortejo ao Palácio do Planalto
  • 16h40 - Recebimento da faixa presidencial, seguida de pronunciamento oficial à Nação
  • 17h - Cumprimentos dos Chefes de Governo e de Estado
  • 17h - Posicionamento da imprensa credenciada para o Palácio Itamaraty no térreo do Palácio Itamaraty
  • 17h30 - Cerimônia de nomeação dos ministros no Salão Nobre do Palácio do Planalto
  • 18h15 - Fotografia oficial no Salão Oeste do Palácio do Planalto
  • 18h45 - Partida do cortejo presidencial para o Palácio Itamaraty
  • 19h - Recepção oferecida pelo presidente Jair Bolsonaro e primeira-dama Michelle Bolsonaro no Palácio Itamaraty
  • 21h - Término da recepção

Mais Posse de Jair Bolsonaro