Topo

Governo Bolsonaro "não tem como dar errado", diz filho senador

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

2019-04-12T13:13:24

12/04/2019 13h13

Em rara entrevista, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou à TV Senado, em entrevista que foi ao ar hoje, que o governo do pai, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), "não tem como dar errado" porque trata-se, segundo ele, de um "projeto de Deus".

Eleito senador no ano passado com mais de 4 milhões de votos, Flávio tem falado pouco desde que se mudou para Brasília. O início de mandato no Parlamento foi marcado pela polêmica envolvendo Fabrício Queiroz, ex-assessor que, de acordo com o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), movimentou dinheiro de forma suspeita quando o deputado estadual no Rio. O caso é investigado pelo Ministério Público fluminense.

"É óbvio que não tem como dar errado. Além de toda essa parte prática, a gente tem muito claro que é um projeto de Deus mesmo. Ele estar vivo já é uma prova disso", afirmou Flávio à TV Senado, relembrando o episódio da facada que o então candidato a presidente sofreu durante atividade de campanha em Minas Gerais, em 6 de setembro de 2018.

O pesselista disse que o pai tem "inaugurado" uma "forma totalmente diferente de negociar com o Congresso", o que geraria "muita resistência" por parte daqueles que representariam a chamada "velha política". Comentou ainda que, se o governo conseguir a aprovação da reforma da Previdência, Bolsonaro aumentará sua força eleitoral para 2022.

"Com a aprovação da nova previdência, e até a oposição reconhece isso... se o Bolsonaro está forte agora, imagina se passa a previdência, como ele não estará forte em 2022? Inclusive isso tem sido usado como argumento por alguns para tentar esvaziar logo a previdência", declarou.

"Eles [críticos da reforma] não estão preocupados com o Brasil, e sim com as próximas eleições. Olha só a mentalidade, mas graças a Deus é de uma parcela muito pequena de parlamentares."

O senador fez uma avaliação positiva dos primeiros cem dias de gestão do Executivo. "Você tem um presidente que, em cem dias de mandato, cumpre 20% daquilo que ele prometeu durante a campanha. Tem três meses e ele já cumpriu 20% do que ele prometeu. É uma pessoa que está sendo coerente com o projeto que a população escolheu como vitorioso."

Mais Política