Topo

Em nova polêmica, Damares diz que Elsa, de Frozen, é lésbica

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

12/05/2019 10h21

Depois de virar polêmica ao defender que meninos usem roupas de cor azul e meninas, rosa, a ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) voltou a frequentar as redes sociais ontem ao ter um vídeo antigo viralizado em que aparece declarando que a princesa Elsa, personagem principal do filme Frozen, da Disney, terminou a trama sozinha em um castelo de gelo porque é lésbica.

No vídeo, que começou a circular ontem, Damares aparece cantando a música tema do filme (Livre Estou) e diz: "Sabe por que ela [Elsa] termina sozinha em um castelo de gelo? Porque é lésbica! O cão está muito bem articulado e nós estamos alienados". No fim, ela afirma que Elsa "vai acordar a Bela Adormecida com um beijo gay".

Embora a ministra afirme em sua conta no Instagram que a fala ocorreu há 4 anos, seu discurso se deu no dia 17 de abril de 2018 em Divinópolis (MG). Ela foi uma das convidadas para uma "Palestra em Defesa da Família", promovida pelo Centro de Formação Missão Maria de Nazaré, com a participação de lideranças cristãs da cidade.

O vídeo foi compartilhado pelo líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta, na tarde de ontem. "Eis o pensamento de uma ministra de estado dos Direitos Humanos. Disseminando ódio e preconceito contra um segmento social que já enfrenta todo tipo de estigma e preconceito", afirmou o político que faz oposição ao governo Jair Bolsonaro (PSL).

Damares respondeu no Instagram algumas horas depois. Ela afirmou se tratar de uma "polêmica que tem como base novamente uma pequena parte recortada de um vídeo que foi gravado durante uma de minhas palestras na igreja". "Eu critico é a tentativa de interferência dos ideólogos de gênero na identidade de nossas crianças", escreveu.

Reação

A reação na web foi imediata. Enquanto alguns internautas ironizaram Damares, apoiadores do governo saíram em defesa da ministra.

Os críticos preferiram os memes para ironizar o vídeo:

Já os apoiadores optaram por comentar no próprio post da ministra.

"Não levarei minhas filhas para assistir se souber que o filme terá esse tipo de assunto", afirmou uma de suas seguidoras na rede social.

"Ficar criando polêmica com tudo que Damares pregar na igreja para interferir no governo é mais uma arma suja da esquerda", escreveu outra.

"Querem destruir a infância das crianças", afirmou um seguidor. "Pode trabalhar tranquila aí pois nós estamos orando do lado de cá", escreveu um apoiador.

Elsa pode mesmo ser lésbica?

A polêmica remonta a 2016, quando os próprios fãs do filme iniciaram uma campanha para que Elsa saísse do armário em "Frozen 2", com estreia marcada para 27 de novembro de 2019.

Os pedidos foram tantos que a diretora do filme, Jeniffer Lee, comentou no ano passado a hashtag #GiveElsaAGirlfriend, ou, "Dê a Elsa uma namorada".

"Amo tudo o que as pessoas estão dizendo e pensando sobre o nosso filme", disse Lee ao Huffington Post, sem, no entanto, confirmar o destino da princesa.

"Em se tratando dos rumos que tomaremos, posso dizer que falamos muito sobre o assunto e somos conscientes a respeito de tudo que norteia o tema. [...] Vamos ver para qual caminhos seguiremos."

Se a ideia vingar, será a primeira vez que um personagem LGBTI+ protagonizará um filme da Disney. Na versão de 2017 de "A Bela e a Fera", LeFou, personagem de Josh Gad, protagonizou a primeira cena abertamente gay em filmes dos estúdios.

Outras polêmicas de Damares

A primeira e mais conhecida polêmica da ministra Damares surgiu já no dia 3 janeiro, nos primeiros dias do novo governo. Na ocasião, outro vídeo mostrava Damares comemorando a "nova era no Brasil". A partir de agora, diz, "menino veste azul e menina veste rosa".

Menino veste azul, e menina veste rosa, diz nova ministra Damares Alves

UOL Notícias

Novas imagens ganharam as redes sociais no dia 24 daquele mês. Damares virou assunto em jornais na Holanda graças a um vídeo de 2013 no qual declara que os pais holandeses são instruídos a "massagear sexualmente suas crianças".

"Inclusive na Holanda, os especialistas ensinam que o menino deve ser masturbado com sete meses de idade para que, ao chegar na fase adulta, possa ser um homem saudável sexualmente, e a menina deve ter a vagina manipulada desde cedo para que ela tenha prazer na fase adulta", disse Damares em uma igreja evangélica em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Declarações em 2013: Damares vira notícia na Holanda

Band Campinas

Três meses depois, e a polêmica saía em uma audiência na Câmara dos Deputados. Na ocasião, a ministra explicou que, em sua "concepção cristã", a mulher deve ser submissa ao homem no casamento.

"Lá dentro da igreja, nós entendemos que no casamento entre homem e mulher, o homem é o líder", disse a ministra.

Isso quer dizer que a mulher tem de abaixar a cabeça para o agressor, para os homens que estão aí? Não, mas dentro da minha concepção cristã, a mulher no casamento é submissa ao homem
Damares Alves, ministra

"Na minha concepção cristã, mulher deve ser submissa no casamento"

UOL Notícias
Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que afirmou Damares, o evento não aconteceu há quatro anos, mas em 17 de abril de 2018, em Divinópolis. A informação já foi corrigida.

Política