PUBLICIDADE
Topo

Política

Aprovação de Bolsonaro cai 16 pontos na região Sul, diz Ibope

24.set.2019 - O presidente Jair Bolsonaro discursa na abertura da 74ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York - Carlo Allegri/Reuters
24.set.2019 - O presidente Jair Bolsonaro discursa na abertura da 74ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York Imagem: Carlo Allegri/Reuters

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

25/09/2019 17h39Atualizada em 25/09/2019 17h53

Resumo da notícia

  • A aprovação de Bolsonaro na região Sul caiu de 52% para 36%
  • Já a proporção de péssimo ou ruim na região aumentou de 18% para 28%
  • Na média nacional, aprovação ao governo é de 31%
  • Na média nacional, a desaprovação à política ambiental cresceu dez pontos percentuais
  • Impostos, juros e combate ao desemprego são área de maior desaprovação

Praticamente estável no país, a aprovação ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) em setembro encolheu significativamente na região Sul, onde o governo tem maior base de apoio, segundo a pesquisa CNI-Ibope divulgada hoje.

Na comparação com abril, quando levantamento anterior havia sido realizado, o percentual de entrevistados que classifica o governo como ótimo ou bom caiu de 52% em junho para 36% em setembro — ainda assim, acima da média nacional, de 31%.

Também cresceu a proporção de moradores da região Sul que consideram a gestão ruim ou péssima, passando dos 18% na pesquisa anterior para 28%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 19 e 22 de setembro e ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios, e a margem de erro de é 2 pontos percentuais.

Média nacional

Na média nacional, os números também revelam que 34% dos brasileiros consideram a gestão ruim ou péssima.

A aprovação do presidente ficou estável entre os homens, com 44% de ótimo ou bom. A avaliação das mulheres variou de forma negativa no limite da margem. O índice de ótimo e bom passou de 34% para 30%.

Por temas

Chamou atenção, a percepção dos brasileiros nas áreas que envolvem a economia nacional. O índice de entrevistados que desaprovam a gestão de impostos do governo federal fechou em 62%, o pior resultado. Cabe ressaltar que o Ministério da Economia e a receita Federal sugeriram incluir a volta da CPMF na reforma tributária.

A política de juros é desaprovada por 61%. A falta de trabalho também incomoda os brasileiros. O combate ao desemprego é terceira área que mais desagrada aos brasileiros com 59% desaprovando a gestão Bolsonaro.

A desaprovação do governo federal também aumentou na área ambiental. O assunto esteve na imprensa com a polêmica internacional por conta das queimadas na Amazônia, e o índice de brasileiros que desaprovam gestão do meio ambiente passou de 45% para 55%, a maior oscilação das nove áreas incluídas no questionário.

Comparação com Temer

Outro dado que aponta perda de popularidade de Jair Bolsonaro no Sul é a comparação de sua administração com o governo de Michel Temer. O percentual dos que avaliam que o presidente está sendo melhor que seu antecessor caiu de 63% para 45% entre junho e setembro.

Em contrapartida, o índice aumentou de 45% para 54% nas regiões Norte e Centro-Oeste. Na avaliação nacional, 43% dos brasileiros consideram Bolsonaro melhor que Temer. Para 33% a qualidade da gestão é igual, e 20% achavam Temer melhor.

Política