Topo

Doria processa Kajuru após ser chamado de "picareta" e "mentiroso"

Doria processa Kajuru após ser chamado de "picareta" e "mentiroso" - 23.set.2019 - Guilherme Rodrigues/Myphoto Press/Estadão Conteúdo
Doria processa Kajuru após ser chamado de "picareta" e "mentiroso" Imagem: 23.set.2019 - Guilherme Rodrigues/Myphoto Press/Estadão Conteúdo

Bruno Thadeu

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/10/2019 14h39

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), entrou com queixa-crime contra o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) por acusações de calúnia, injúria e difamação. É o terceiro processo movido por Doria contra Kajuru somente neste ano. Na ação registrada em outubro, o governador paulista acusa o senador de proferir diversas ofensas em uma reportagem veiculada no jornal "Diário do Grande ABC", em 30 de setembro deste ano.

Na matéria, Kajuru chamou Doria de "picareta social" e de "mentiroso". O senador também ligou Doria a supostos esquemas ilegais com empreiteiras e no Detran (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo).

"O tanto que ele [Doria] já roubou na vida como jornalista e político... É só ver os rolos dele com empreiteiras, com esquema. Ele não teve de demitir o Diretor do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), Maurício Alves? Por quê? Estava tendo escândalo de R$ 2 bilhões em registro de veículos, emplacamento, exames toxicológicos, simuladores... Ele sabia desse escândalo porque o chefe da quadrilha é o secretário de Transportes (Metropolitanos), Alexandre Baldy. O Doria é mitômano. Tem compulsão por mentira. Mente 24 horas por dia. Trabalhei com ele dois anos, na RedeTV! tinha aquele programa sindical, Show Business. Fazia quatro entrevistas por domingo. Só com gente rica. Ele não entrevistava pobre. Sabe por quê? Ele cobrava por entrevista. Cento e cinquenta mil reais. É um picareta social", disse Kajuru em entrevista ao jornal.

Na ação, o jurídico de Doria destaca que "Kajuru proferiu uma série de imputações e qualificações ultrajantes", extrapolando o "direito à liberdade de expressão e manifestação de pensamento".

Ao UOL o advogado de Doria, Fernando José da Costa, declarou:

"A honra do governador é seu bem mais importante. Toda vez que essa honra for maculada, entraremos com as medidas judiciais cabíveis, inclusive processando criminalmente o ofensor".

Kajuru diz que críticas foram para alertar Doria

Em contato com a reportagem, Jorge Kajuru acusa Doria de ter sido conivente em meio a supostas irregularidades no departamento de trânsito de São Paulo.

Kajuru disse que entregou documentação à Polícia Federal apontando supostos esquemas fraudulentos em Detrans de São Paulo, Goiás e Distrito Federal.

"O Doria tinha é que me agradecer, porque as críticas que eu fiz ao departamento de transporte dele passaram a ser investigadas. Tinha muita coisa errada dentro do Detran. O que eu fiz foi alertá-lo do que ocorria dentro do governo dele. Ele deveria é parar de andar com essas pessoas. Mas, em vez disso, me processou e me atacou. Aí decidi falar um monte mesmo", acrescentou Kajuru.

Procurado pelo UOL após a declaração de Kajuru, o advogado de Doria reitera que a honra do governador foi atingida e comunicou que os processos serão retirados caso Kajuru se retrate e se comprometa a fazer doação a entidades assistenciais.

"Na queixa-crime formulada, percebe-se que os adjetivos imputados [ao Doria] são diversos e extremamente ofensivos. Não é meramente um 'alerta', como ele diz [pelo Kajuru]. Se de fato o Kajuru não teve a intenção de ofender, retiraremos as ações se ele se retratar e se comprometer a doar um salário a entidades", disse Fernando José da Costa.

Outros processos contra Kajuru

Em abril, o governador de São Paulo já havia acionado a Justiça contra Kajuru. Na ocasião, o senador de Goiás chamou Doria de "escória da escória", "vazio" e "inculto" em uma reportagem da revista Veja.

Já em setembro, Doria moveu ação contra Kajuru na 8ª Vara Criminal de Brasília em virtude de textos postados contra Doria nas páginas do senador nas redes sociais. O governador acionou a Justiça contra Kajuru por crimes contra a honra, calúnia, difamação e injúria.

O processo mais recente foi registrado no Tribunal de Justiça de São Paulo na quarta-feira passada. Dois dias depois, o Ministério Público se manifestou no sentido de que o processo seja analisado pelo Supremo Tribunal Federal, pois o alvo da ação, Kajuru, exerce mandato como senador.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Política