Topo

Ao ser solto, Lula usa roupa do mesmo estilo do dia em que foi preso

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

08/11/2019 18h31

Solto na tarde de hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estava com uma roupa do mesmo estilo da que foi usada por ele no dia em que foi preso, há mais de um ano.

No momento em que se entregou à PF (Polícia Federal) em São Bernardo do Campo (SP), no dia 7 de abril de 2018, o ex-presidente usava uma camiseta escura e um blazer cinza.

Hoje, ao deixar a sede da PF em Curitiba, Lula estava vestido de forma praticamente idêntica. Veja:

7.abr.2018 - O ex-presidente Lula se entrega à Polícia Federal no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP) - Leonardo Benassatto/Reuters
7.abr.2018 - O ex-presidente Lula se entrega à Polícia Federal no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP)
Imagem: Leonardo Benassatto/Reuters

8.nov.2019 - O ex-presidente Lula deixa a carceragem da PF em Curitiba - CASSIANO ROSÁRIO/FUTURA PRESS//ESTADÃO CONTEÚDO
8.nov.2019 - O ex-presidente Lula deixa a carceragem da PF em Curitiba
Imagem: CASSIANO ROSÁRIO/FUTURA PRESS//ESTADÃO CONTEÚDO

Em discurso, Lula agradece militantes

Lula deixou o prédio da PF a pé. Em seguida, o ex-presidente fez um discurso aos apoiadores que aguardavam por ele na vigília "Lula Livre", instalada em um terreno em frente à sede da PF.

Lula agradeceu a militância que permaneceu em Curitiba durante os 580 dias em que ele esteve preso, criticou o MPF (Ministério Público Federal) e a PF e também apresentou a socióloga Rosângela Silva como sua noiva. O petista também fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Amanhã, ele é esperado em um ato no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, onde deve fazer outro pronunciamento.

Decisão do STF

O ex-presidente foi solto graças a uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que em julgamento finalizado ontem, proibiu a prisão após condenação em segunda instância. A partir de agora, as penas só poderão ser executadas após o esgotamento de todos os recursos possíveis, o chamado trânsito em julgado.

Lula estava preso por sua condenação no caso do tríplex do Guarujá (SP), da Operação Lava Jato. Neste processo, o ex-presidente foi condenado por três instâncias, cabendo ainda recurso ao STF.

Lula beija a namorada durante discurso em Curitiba

UOL Notícias

Política