Topo

Lula revela conselho de Dilma: "Você tem que namorar"

O ex-presidente Lula deixa a carceragem da PF em Curitiba ao lado da namorada Rosangela da Silva e do ex-prefeito Fernando Haddad -  GIULIANO GOMES/ESTADÃO CONTEÚDO
O ex-presidente Lula deixa a carceragem da PF em Curitiba ao lado da namorada Rosangela da Silva e do ex-prefeito Fernando Haddad Imagem: GIULIANO GOMES/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

21/11/2019 14h19

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva riu e chorou em um discurso de improviso hoje, durante o lançamento do livro "Lula e a Espiritualidade: Oração, Meditação e Militância", organizado por Mauro Lopes. No evento, em São Paulo, ele esteve ao lado de Dilma Rousseff e Gleisi Hoffmann, entre outros petistas e se emocionou ao dizer que "o povo brasileiro está fodido", mas também causou risos ao dizer que um conselho de Dilma o levou a sair da prisão, em Curitiba, namorando.

"Diga-se de passagem, a Dilma foi me visitar umas vezes e falou: 'Lula, você tem que namorar'", contou o ex-presidente, apontando para ela. "Eu agradeço os conselhos."

Lula, que hoje também participou de reunião do diretório nacional do PT, em São Paulo, ainda acrescentou: "Acho que sai um homem melhor que entrei. Além disso, um cara apaixonado". Dilma tomou a palavra: "Essa é a melhor parte".

Ricardo Stuckert/Facebook
Imagem: Ricardo Stuckert/Facebook

O ex-presidente chorou quando falava sobre como encarou momentos de maior pressão dentro da prisão. Ele ficou 580 dias preso e foi solto há quase duas semanas.

"Quando você está preso, que você tem que dominar seu ódio, tudo se resolvia em dizer: 'O povo está mais fodido que eu'", disse Lula, que pegou um lenço para limpar as lágrimas.

"Quando me dava um desespero, eu pensava que eu vivia melhor que 70% do povo brasileiro. Eu fazia meu café, fazia meu café de boa qualidade. Todo mundo gostava do meu café. Comia minha marmitinha de isopor, mas era melhor que o povo tava comendo. O meu alívio era [pensar] isso: o povo tá fudido, esse governo tá acabando com o povo... Isso me alimentava", completou.

Política