PUBLICIDADE
Topo

Bruno Covas mostra melhora após sangramento, mas permanecerá na UTI

Bruno Covas, em coletiva de imprensa na prefeitura de São Paulo - Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo
Bruno Covas, em coletiva de imprensa na prefeitura de São Paulo Imagem: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

12/12/2019 16h27

Foi divulgado hoje um novo boletim médico sobre o estado de saúde do prefeito da cidade de São Paulo Bruno Covas (PSDB). De acordo com os médicos, ele apresenta "excelente estado clínico", mas vai permanecer na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

O político, que faz tratamento contra um câncer no trato digestivo, foi internado depois de sofrer um sangramento no fígado.

Sangramento no fígado

Internado desde domingo (8) para o quarto de oito ciclos de quimioterapia, Covas reclamou que estava com dor após a sessão desta quarta (11), a última da etapa.

Foram feitos exames e ele foi diagnosticado com um pequeno sangramento no fígado, causado pelo procedimento de marcação, que sinaliza fisicamente, no órgão, o local do tumor.

A internação em UTI, segundo a reportagem do UOL apurou, é apenas para que o paciente possa ter assistência médica em tempo integral.

Diagnosticado com um câncer entre o esôfago e o estômago, a equipe do hospital informou no dia 9 que ele não passará por cirurgia. Covas continuará a ser tratado por quimioterapia, em um total de oito sessões.

Veja o boletim médico:

"O prefeito Bruno Covas encontra-se em excelente estado clínico. No momento, não apresenta sinais de sangramento. Ele permanecerá internado na Unidade de Tratamento Intensivo para monitorização contínua.

Antes da realização do procedimento para estancar o sangramento ele concluiu a quarta sessão de quimioterapia. A continuidade de seu tratamento está mantida, sem alterações.

O prefeito Bruno Covas está sendo acompanhtado pelas equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, pelo Prof. Dr. Roberto Kalil Filho, Prof. Dr. Raul Cutait, Dr. Artur Katz, Dr. Tulio Eduardo Flesch Pfiffer, Dr. Cyrillo Cavalheiro Filho e Dr. Andre Echaime Vallentsits Estenssoro."

Política