PUBLICIDADE
Topo

Vereador é chamado de "judeu filho da p..." em discussão na Câmara de SP

Daniel Annenberg (foto) foi alvo de ofensa de Adilson Amadeu, que pediu desculpas em nota e no plenário - Divulgação
Daniel Annenberg (foto) foi alvo de ofensa de Adilson Amadeu, que pediu desculpas em nota e no plenário Imagem: Divulgação

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

12/12/2019 16h51Atualizada em 12/12/2019 22h30

Resumo da notícia

  • Daniel Annenberg (PSDB) e Adilson Amadeu (DEM) discutiram na noite de ontem durante debate de projetos
  • Amadeu ofendeu Annenberg durante a discussão; imediatamente, interlocutores interromperam
  • Em nota, vereador do DEM pediu desculpas à comunidade judaica; hoje, em plenário, apertou a mão do colega
  • Em rede social, Annenberg se disse "alvo de discurso de ódio e discriminação"

O vereador Daniel Annenberg (PSDB), de São Paulo, foi xingado de "judeu filho da p*ta" na Câmara de Vereadores da cidade, na noite de ontem. O responsável foi o também vereador Adilson Amadeu (DEM).

De acordo com o site BuzzFeed News, o xingamento foi feito durante a discussão de um pacote de projetos de lei. Em meio ao debate do projeto 419/18, que é de autoria de Amadeu e que trata da regulamentação de transportes por aplicativo, houve registro de desentendimento.

"Vai para essa m*rda de Detran, viu? Seu judeu filho da p*ta", diz Amadeu na gravação. Imediatamente, a declaração é repreendida por outras vozes. Annenberg foi diretor-presidente de Detran de São Paulo entre 2011 e 2016, e deixou no começo de dezembro a secretaria municipal de Inovação e Tecnologia de São Paulo.

Em nota, o gabinete de Adilson Amadeu pediu desculpas pela declaração feita "no calor da discussão". Além disso, desculpou-se também com a comunidade judaica.

"Em uma sessão tensa que já durava quase oito horas, e após costurado um acordo na casa para que fossem votados projetos de vereadores, eu tive divergências com o colega parlamentar por conta de um projeto de minha autoria, no qual trabalhei muito o ano todo para ser aprovado", diz o comunicado.

"No calor da discussão, algo tão comum em votações polêmicas em plenário, eu realmente me excedi e, caso alguém tenha se sentido ofendido e ainda que não tenha sido uma fala generalizada, quero pedir minhas sinceras desculpas à comunidade judaica", acrescenta.

"Aproveito este esclarecimento para deixar claro que, em nenhum momento, houve um ataque à cultura ou tradição judaicas, a quem sempre fiz questão de respeitar", encerra o texto.

Hoje, Adilson Amadeu lamentou novamente o "episódio que aconteceu ontem" e informou que não falará mais sobre este assunto. No plenário da Câmara, reforçou seu pedido de desculpas e, depois, apertou a mão de Annenberg, sob aplausos dos presentes.

O UOL não conseguiu contato com Daniel Annenberg até a publicação da matéria. No entanto, em sua página no Facebook, o vereador lamentou o caso na tarde de hoje.

"Primeira semana como vereador e já sou alvo de discurso de ódio e discriminação. Que tristes dias para a nossa política", registrou. Ao BuzzFeed, ele ainda prometeu uma queixa-crime e uma representação contra Amadeu na Corregedoria da Câmara de Vereadores.

2017: Judeus sofrem ameaças em São Paulo

Band Notí­cias

Política