PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Recém-filiado, Frota diz que PSDB de SP tem donos e "político viciado"

Antonio Temóteo

Do UOL, em Brasília

08/03/2020 15h08Atualizada em 08/03/2020 15h52

Há pouco mais de seis meses filiado ao PSDB, o deputado federal Alexandre Frota (SP) já critica o partido e faz acusações contra correligionários no estado de São Paulo.

Segundo o deputado afirmou no Twitter, o partido possui "coronel", "dono", "político viciado" e "empresário" que desejam se perpetuar no comando dos diretórios municipais.

Frota se filiou ao PSDB em agosto do ano passado, depois de a Executiva do PSL decidir expulsar o deputado do partido por causa das frequentes críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele foi convidado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para integrar a legenda.

Além de criticar o partido, marcar as páginas do diretório nacional e do diretório estadual no estado, Frota também declarou que Doria precisa ficar atento aos problemas que existem.

Críticas ao ex-prefeito de Tupã

Segundo Frota, o ex-prefeito de Tupã Waldemir Gonçalves (PSDB) está inelegível, tem mais de R$14 milhões bloqueados em bens pela justiça e tem o partido nas mãos. "Ninguém do partido toma uma providência e tira esse cara. Pelo contrário, apoiam. Assim fica difícil", afirmou Frota.

Em nota, o presidente do diretório do PSDB em São Paulo, Marco Vinholi, afirmou que é "salutar" que os integrantes da legenda "persigam e trabalhem" para a construção do partido. Segundo ele, Frota é um exemplo desse trabalho.

"Estamos em constante trabalho de construção partidária e é direito de todo filiado a representação ou apontamento sobre a conduta ética dos nossos quadros para apreciação do Partido, de modo que esse caso será analisado também com a presteza necessária", afirmou Vinholi.

O UOL procurou o governador de São Paulo e o presidente do PSDB, Bruno Araújo (PE), mas não recebeu retorno até a publicação da matéria. O UOL não localizou o ex-prefeito de Tupã, mas o espaço está aberto para que todos se manifestem.

Política