PUBLICIDADE
Topo

Política

Justiça dá 15 dias para Olavo de Carvalho pagar R$ 2,9 mi a Caetano Veloso

Olavo de Carvalho deve pagar multa por não ter tirado do ar posts que acusavam Caetano de pedofilia - Reprodução/Instagram e Joshua Roberts/Reuters
Olavo de Carvalho deve pagar multa por não ter tirado do ar posts que acusavam Caetano de pedofilia Imagem: Reprodução/Instagram e Joshua Roberts/Reuters

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

10/10/2020 09h55Atualizada em 12/10/2020 13h58

O escritor Olavo de Carvalho, considerado o guru do clã Bolsonaro, tem 15 dias para pagar uma multa de R$ 2,9 milhões ao músico Caetano Veloso. A decisão da 50ª Vara Cível do Rio foi confirmada ao UOL pelo Tribunal de Justiça.

Em 2017, Olavo foi processado pelo cantor por publicar posts que o acusavam de pedofilia. O escritor se referia ao romance de Caetano com a produtora Paula Lavigne, iniciado quando ela tinha 13 anos, e ele, 40. Os dois ficaram casados por 19 anos, quando, em 2004, romperam. O casal, que tem dois filhos, reatou a união em 2016.

Ainda em 2017, a Justiça concedeu liminar para a remoção das postagens. A ordem deveria ser cumprida em 48 horas, sob pena de multa diária de R$ 10 mil. Apesar de ter sido pessoalmente intimado em sua casa, nos Estados Unidos, o escritor não apagou as publicações.

Como os posts não foram tirados do ar, a multa atingiu o valor de R$ 2,9 milhões, que agora o escritor foi intimado a pagar.

"Intime-se a parte ré [Olavo de Carvalho], (...) para pagar, no prazo de quinze dias, o valor apresentado pelo exequente em sua planilha, alertando-o de que não ocorrendo o pagamento voluntário haverá acréscimo de multa de 10%", determinou a juíza Renata Gomes Casanova de Oliveira e Castro.

Indenização por danos morais

Em setembro do ano passado, no mesmo processo, a Justiça ainda condenou Olavo a pagar a Caetano uma indenização de R$ 40 mil por danos morais.

A indenização, cujo valor corrigido está hoje em R$ 65.966,78, foi paga judicialmente em agosto, mas o ideólogo ainda recorre do valor por meio de um agravo de instrumento que será julgado pela 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio.

Política