PUBLICIDADE
Topo

Política

Acordo com oposição elege Milton Leite presidente da Câmara de SP

Os vereadores Eduardo Suplicy e Milton Leite, os dois mais votados em SP pela segunda vez - Folhapress
Os vereadores Eduardo Suplicy e Milton Leite, os dois mais votados em SP pela segunda vez Imagem: Folhapress

Lucas Borges Teixeira e Gabriela Sá Pessoa

Do UOL, em São Paulo

01/01/2021 18h24

Um acordo entre os mais diferentes partidos reelegeu o vereador Milton Leite (DEM) para a presidência da Câmara Municipal de São Paulo na sessão de posse nesta sexta-feira (1º). PT, PSDB e PSL se uniram em troca de votos para ocupar cargos na Mesa Diretora.

Leite recebeu votos de 49 dos 55 vereadores. Ele só enfrentou oposição do PSOL, que lançou Erika Hilton, em seu primeiro mandato. No entanto, ela só foi votada pelos seis parlamentares do partido. os seis votos do partido.

A eleição de Leite já estava dada - tanto que o governador João Doria (PSDB), que acompanhou a sessão virtualmente, o saudou como presidente antes que ocorresse a votação. Em acordo, o PT votou por Leite para que Juliana Cardoso (PT) ganhasse apoio da maioria para a primeira secretaria.

Leite é uma das principais lideranças da Câmara Municipal, que frequenta desde 1997. Ele está em seu sétimo mandato e sempre foi ligado ao PSDB e é um dos homens mais fortes da base do prefeito Bruno Covas (PSDB) na Casa.

Com reduto eleitoral na zona sul, ele foi o segundo vereador mais votado do país em 2020, com quase 133 mil votos. Essa é a segunda vez que ele presidirá a Mesa Diretora.

A situação gerou críticas dos parlamentares do PSOL, que disseram ser o os únicos a fazer "oposição verdadeira" ao prefeito Bruno Covas (PSDB). Leite é da base do governo.

Os próprios parlamentares petistas estavam visivelmente constrangidos ao votar no democrata. Eduardo Suplicy (PT) declarou apoio às ideias de Hilton, mas votou em Leite por "obediência ao partido".

Cardoso também prestou apoio à posição de oposição de Hilton e do PSOL e afirmou que "a esquerda está unida". Ainda assim, votou em Leite.

Com o acordo, a petista concorreu sozinha à primeira secretaria da Casa e se elegeu, com 42 votos. O PSOL se absteve.

Rute Costa (PSDB) e Atílio Francisco (Republicanos) ficaram, respectivamente, com a primeira e a segunda vice-presidência da Câmara. Cardoso foi eleita primeira secretária e Fernando Holiday (Patriota), segundo secretário.

Política