PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro vai assumir vacina para ter curtida e lacrada, diz Major Olimpio

"Em dez dias, vai estar dizendo que a vacina do Butantan foi ele que bolou" - Felipe Rau/Estadão
"Em dez dias, vai estar dizendo que a vacina do Butantan foi ele que bolou" Imagem: Felipe Rau/Estadão

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

21/01/2021 19h50Atualizada em 21/01/2021 20h06

Autor de um pedido de inquérito contra o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o senador Major Olimpio (PSL-SP) diz acreditar que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai mudar seu discurso para defender a vacina contra o coronavírus a partir de agora. O objetivo, segundo ele, é obter "lacradas" e "curtidas" em redes sociais.

"Do jeito que é o comportamento psicopatológico de Bolsonaro, em 10 ou 15 dias, ele vai estar defendendo só a vacina, e dizendo que a vacina do Butantan foi ele que bolou", disse Olímpio ao UOL nesta quinta-feira (21), um dia depois de pedir investigação contra Pazuello.

O senador, que se elegeu em 2018 apoiando Bolsonaro, mas rompeu com o governa, justifica o comportamento que antevê no presidente. "Ele faz qualquer coisa no mundo por lacrada e por curtida. Ele faz qualquer coisa no mundo para ter aceitação pública até mesmo negar o negacionismo absurdo."

Para Olimpio, o presidente "faz a retórica que interessa". "E, se ele precisar queimar alguém, o Pazuello está ali de bucha de canhão."

"A própria propaganda do Ministério da Saúde já vem agora com uma defesa do Pazuello e, em tese, para ele mesmo, porque está recomendando a vacina e dizendo para usar máscara e álcool em gel, coisa que o Pazuello muitas vezes fez eventos públicos sem máscaras. Ele e o presidente."

Para o senador, o ministro da Saúde cometeu crime de charlatanismo ao comandar o Ministério da Saúde, ao mesmo tempo em que a pasta orientava o uso de cloroquina para o combate à pandemia mesmo sem estudos demonstrando sua eficácia e segurança.

Procurados pela reportagem, o Ministério da Saúde e o Planalto, ainda não se manifestaram sobre as declarações do senador.

Política