PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Polícia identifica dados e indicia homem que ameaçou ex-candidata em Macapá

Lorena Quintas (PCdoB) denunciou mensagens recebidas desde a campanha eleitoral de 2020 - Divulgação
Lorena Quintas (PCdoB) denunciou mensagens recebidas desde a campanha eleitoral de 2020 Imagem: Divulgação

Gabriel Dias

Colaboração para o UOL, em Macapá

26/02/2021 14h08

A Polícia Civil do Amapá indiciou hoje um homem de 24 anos de idade, da cidade de Manaus, que utilizou uma conta falsa na internet para ofender e ameaçar a ex-candidata a vice-prefeita de Macapá, Lorena Quintas (PCdoB). Ele responderá pelos crimes de falsa identidade, ameaça, difamação e injúria.

O caso aconteceu em fevereiro, quando Lorena recebeu diversas mensagens depreciativas e em tom ameaçador de dois perfis fakes no Instagram e no Facebook, desejando que ela fosse "estuprada" e "agredida".

Procurada pelo UOL, Lorena conta que já vinha sendo hostilizada desde a campanha eleitoral de 2020, mas a situação acabou sendo intensificada no início deste ano.

"Fui hostilizada e ameaçada em minhas redes sociais. Esses ataques se iniciaram ainda na campanha eleitoral em 2020, porém se intensificaram nessa última semana. Dessa experiência, cheguei à conclusão de que mulheres que se atrevem a ocupar espaços predominantemente masculinos sempre sofrem algum ou todo tipo de ataque — ataque à sua honra, à sua dignidade, sua moral e até à sua integridade física", comentou.

Ameaças - Reprodução - Reprodução
Investigação rastreou responsável por ameaças, que confessou
Imagem: Reprodução

Para ela, mesmo que tenha sido um crime virtual, ela tem sofrido com o medo de sofrer ataques a sua integridade física.

"Mesmo que sejam crimes virtuais, as mensagens são carregadas de ódio, o que me faz acreditar que posso ser hostilizada, agredida e até assassinada cada vez que saio de casa. Cabe frisar que, por se tratar de perfis fake, tenho a sensação que toda e qualquer pessoa pode ser o criminoso. É um problema sério, pois é muito fácil se tornar refém desse medo", relatou.

Além de Lorena, a reportagem apurou que a ex-candidata a vereadora Janaína Correia (PCdoB) também foi vítima do mesmo crime praticado pelo acusado no mês de fevereiro.

"Eu fiquei muito assustada com o teor das mensagens, porque tinha muita agressividade, mas não é algo incomum, infelizmente. Mas não é por ser algo comum que temos que tratar como normal, e precisamos fazer as pessoas entenderem que a internet não é uma terra sem lei, tudo que você faz ou fala tem consequência. A gente tem que se posicionar para não banalizar esse tipo de comportamento, principalmente em relação a mulheres", relatou Janaína.

As duas vítimas registraram Boletim de Ocorrência, o que possibilitou que a polícia iniciasse as investigações com do Law Enforcement Team da empresa Facebook. A partir de informações telemáticas foi possível identificar os dados cadastrais e linhas telefônicas utilizadas pelo suspeito que reside em Manaus.

O acusado foi ouvido pelo delegado através de videoconferência e confessou a autoria do crime. De acordo com a Polícia Civil, o inquérito policial foi concluído e encaminhado ao Poder Judiciário para que o homem responda pelos crimes praticados.

Política