PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

MP pede nova eleição em cidade em PE; vice jogou dinheiro para eleitores

Do UOL, em São Paulo

20/04/2021 16h21Atualizada em 20/04/2021 16h54

O Ministério Público Eleitoral de Pernambuco pediu hoje a manutenção da cassação dos mandatos do prefeito e do vice-prefeito de Joaquim Nabuco (PE), respectivamente Antonio Barreto Neto (PTB) e Eraldo Veloso (MDB), e a realização de novas eleições no município.

Logo após a vitória na eleição municipal de 2020, Eraldo Veloso, do alto de uma varanda, foi flagrado jogando notas de dinheiro para eleitores. Ao lado de Barreto Neto, a chapa "Coligação União por Joaquim Nabuco" foi eleita com 52,32% dos votos válidos (ainda em primeiro turno).

Pelo episódio, Barreto Neto e Eraldo Veloso foram condenados em primeira instância por abuso de poder econômico e compra de votos. Porém, como houve recurso ao TRE-PE (Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco), ambos ainda estão mantidos nos cargos.

No parecer enviado ao Tribunal, a PGE-PE (Procuradoria-Geral Eleitoral de Pernambuco) pediu que a condenação de Barreto Neto e Eraldo Veloso seja mantida e que ocorra uma nova eleição no município.

O evento, altamente reprovável, debochado e com repercussão nacional, configura caso típico e grosseiro de abuso de poder econômico, porquanto possuiu efeito de comprometer a lisura e a igualdade do pleito eleitoral de 2020 Procurador Wellington Cabral Saraiva, autor do parecer

Segundo o parecer, testemunhas disseram que "ocorreu divulgação prévia do ato", "ou seja, havia numerosos comentários no município de que, segundo o vice-prefeito, se ganhasse a eleição, arremessaria dinheiro pela varanda de sua residência".

Uma testemunha, que disse ter recolhido R$ 350 no ato, declarou que "foram arremessadas diversas notas de R$ 50,00 e R$ 100,00" a partir da varanda da residência do vice-prefeito.

"Os fatos são enormemente reprováveis, despertaram indignação nacional e revelam a falta de integridade e higidez do processo eleitoral no município de Joaquim Nabuco - em desrespeito até ao jurista e diplomata que empresta seu nome à cidade", concluiu o parecer.

Personalidade que dá nome ao município, Joaquim Nabuco (1849-1910) foi um político, diplomata e líder abolicionista. Bacharel em Letras, o recifense foi deputado por Pernambuco e embaixador do Brasil em Londres (Reino Unido) e em Washington (Estados Unidos).

Política