PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Eduardo Bolsonaro posta BO por briga em aeroporto; Bozzella diz: fake news

Eduardo Bolsonaro registrou boletim de ocorrência por "calúnia" e "difamação" contra colega de partido - Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Eduardo Bolsonaro registrou boletim de ocorrência por "calúnia" e "difamação" contra colega de partido Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Mariana Durães

Colaboração para o UOL

30/04/2021 19h36Atualizada em 01/05/2021 11h45

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) registrou um boletim de ocorrência contra o também deputado e vice-presidente do PSL, Junior Bozzella (SP), por calúnia e difamação. Ao UOL, Bozzella disse que, ao levar o caso para as redes sociais, Eduardo Bolsonaro "criou narrativa e espalhou fake news".

O caso começou porque, em uma entrevista ao 'O Antagonista', Bozzella narrou um encontro com o colega no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, na manhã de ontem. Na ocasião, ele teria sido ameaçado por Eduardo.

"Eu estava sentado, comendo e mexendo no celular, quando ele veio na minha direção, me chamando de 'vagabundo'. Depois, um assessor que me acompanhava disse que ele veio dizendo 'vou te matar, vou te matar'", contou Junior Bozzella.

No Twitter, o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) narrou a ida à polícia, disse que o colega mentiu, e postou fotos do BO, registrado ontem. A Secretaria de Segurança Pública informou que o caso foi registrado como calúnia e difamação. "A vítima prestou depoimento e foi orientada quanto ao prazo para oferecimento de queixa-crime contra o autor", informou o órgão.

"Encontrei com o deputado Junior Bozzella. Ele, achando que a minha vida era brincadeira, veio sorridente me cumprimentar. Eu recusei e falei que ele não valia nada. Apenas isso, e segui meu caminho", disse Eduardo Bolsonaro, em vídeo nas redes sociais. À polícia, narrou, ainda, estranhar que não tenham vídeos do momento, já que o encontro aconteceu em um horário com grande movimentação no local.

Ao UOL, Bozzella disse que, no aeroporto, não reagiu às falas de Eduardo Bolsonaro por dois motivos. Primeiro "porque ele anda armado" e segundo "porque não é do meu feitio criar atritos públicos". O vice-presidente do PSL acredita que essa seja a tática dos 'bolsonaristas'. "Eles têm mania de achar que o agressor é vítima e não reconhecer seu erro. Na verdade quem foi o agressor foi ele. Tudo deles é na base da truculência, da violência", disse.

Além disso, o deputado Junior Bozzella disse que não registrou um BO deste caso porque essa "não é a primeira, nem a segunda e não será a última vez" que isso acontece. "Eles podem tentar acuar e ameaçar outras pessoas, mas a mim não conseguem", finalizou.

Política