PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Bolsonaro pede união contra esquerda após Lula pregar aliança no RJ em 2022

Bolsonaro e apoiadores se reuniram no Rio de Janeiro e posaram para foto usando máscaras  - Divulgação
Bolsonaro e apoiadores se reuniram no Rio de Janeiro e posaram para foto usando máscaras Imagem: Divulgação

Lola Ferreira

Do UOL, no Rio

05/05/2021 19h34

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se reuniu na tarde de hoje com o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), e deputados estaduais aliados. O encontro, marcado às pressas, foi uma resposta à movimentação do ex-presidente Lula (PT) para a criação de uma frente ampla na disputa do governo do Rio de Janeiro em 2022.

O presidente pediu que os aliados "não baixem a guarda para a esquerda" no Rio, estado considerado berço do bolsonarismo. Ainda não há definição se Castro, aliado de Bolsonaro no Rio, disputará o governo em 2022, mas interlocutores afirmam que a intenção do presidente com o encontro foi tentar fortalecer o governador como líder da direita no estado.

Castro tomou posse definitiva no último sábado (1º), após finalizado processo de impeachment do ex-governador Wilson Witzel (PSC). Bolsonaro também pediu que os deputados continuem apoiando o governador.

A reunião acontece um dia após Lula se reunir com deputados federais do Rio de Janeiro em Brasília. Na ocasião, o ex-presidente manifestou apoio a um movimento que reúna atores políticos de diferentes partidos em torno de uma única candidatura no estado para 2022.

O nome mais cotado para encabeçar a chapa estadual é Marcelo Freixo (PSOL), e o PT do Rio estaria disposto, de acordo com Lula, a apoiá-lo. A intenção é abrir diálogo, agora, com nomes como o prefeito Eduardo Paes (DEM) e o deputado federal Rodrigo Maia (DEM).

Em claro sinal à movimentação do ex-presidente, Bolsonaro marcou ontem um encontro para hoje. Estiveram presentes deputados estaduais eleitos na esteira do bolsonarismo: Alana Passos (PSL), Alexandre Knoploch (PSL), Anderson Moraes (PSL), Charlles Batista (PSL), Filippe Poubel (PSL), Márcio Gualberto (PSL), Renato Zaca (PRTB), Rodrigo Amorim (PSL) e Rosane Félix (PSD). O deputado federal Hélio Lopes (PSL), o prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis (MDB), e o ministro da Justiça, Anderson Torres, também acompanharam o encontro. Todos posaram para uma foto, usando máscaras.

Washington Reis afirmou que Bolsonaro também citou a pandemia de covid-19, manifestando desejo para "que acabe logo", mas não citou nenhuma medida concreta direcionada ao estado do Rio. O prefeito de Caxias destacou, entretanto, foi uma reunião produtiva.

"O presidente falou de muitas entregas no país, vai inaugurar uma ponte no Acre ou em Rondônia, se não me engano, e vão vir muitas obras para a Baixada Fluminense, São Gonçalo e interior [do Rio]", disse.

Já Bolsonaro chegou e saiu do Palácio das Laranjeiras sem falar com a imprensa. Moradores do prédio vizinho à residência oficial do governo do Rio de Janeiro receberam o comboio do presidente com gritos e panelaço.

Política