PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Sakamoto: Mentoria paralela de Osmar Terra custou 500 mil mortos ao Brasil

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/06/2021 12h31Atualizada em 22/06/2021 14h24

A mentoria "terraplanista" de Osmar Terra (MDB-RS) no suposto gabinete paralelo custou ao Brasil mais de meio milhão de mortos, avaliou o colunista do UOL Leonardo Sakamoto, que participou hoje do UOL News junto a Joel Pinheiro, comentarista do programa.

A dupla comenta o depoimento dado pelo deputado federal e médico hoje à CPI da Covid. Durante a fala, Terra negou a existência de um suposto "gabinete paralelo" para aconselhar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o enfrentamento à pandemia.

Esse gabinete seria formado por membros como o ex-assessor especial da Presidência Arthur Weintraub e a médica Nise Yamaguchi, e estaria, às margens do Ministério da Saúde, aconselhando Bolsonaro sobre a pandemia com posições contrárias à ciência, com críticas às medidas de distanciamento social e a defesa de um "tratamento precoce" contra a covid-19.

Osmar Terra disse hoje na CPI que ele é apenas amigo do presidente, que o presidente pode até se inspirar em alguma coisa que ele falou. Se inspirar, nada. Foi mostrado vídeos em que Bolsonaro repetia o que Osmar Terra falou. Ele foi mentor do gabinete paralelo, do gabinete das sombras, foi uma mentoria paralela. Uma mentoria 'terraplanista' que nos custou mais de 500 mil mortos Leonardo Sakamoto

Sakamoto disse ainda que o maior problema do depoimento é que a fala do deputado pode se transformar em pequenos vídeos divulgados na internet que espalham mentiras e distorções. Joel Pinheiro lembrou que Osmar Terra disse no início de 2020 que a a covid-19 não faria nem 800 mortes e se perguntou onde estaria o pedido de desculpas pelas informações erradas.

A dupla também comentou uma fala proferida por Ricardo Barros em entrevista hoje ao UOL. O deputado paranaense e líder do governo na Câmara defendeu que há uma meta de que 70% sejam imunizadas pela vacina ou pelo vírus para que a pandemia acabe. Pinheiro criticou os que defendem a imunidade de rebanho.

Essa é a desonestidade deles, eles dizem que agora que era uma boa ideia lutar pela imunidade de rebanho, com 70% da população vacinada. Não há nenhuma evidência disso que a gente esteja próximo disso. Eles falavam que a gente estava na imunidade de rebanho em junho do ano passado. Era mentira e eles não tinham nenhuma base para afirmar isso.Joel Pinheiro

Política