PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

RJ: Deputado do PSL diz que bandidos atiraram contra seu carro na via Dutra

Deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL), do Rio de Janeiro, disse ter sido alvo de ataque a tiros na manhã de hoje - Divulgação/Alerj
Deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL), do Rio de Janeiro, disse ter sido alvo de ataque a tiros na manhã de hoje Imagem: Divulgação/Alerj

Beatriz Gomes

Do UOL, em São Paulo

05/07/2021 14h16Atualizada em 05/07/2021 20h27

O deputado estadual do Rio de Janeiro Alexandre Knoploch (PSL) afirmou ter sido alvo de um ataque a tiros enquanto trafegava de carro pela Via Dutra, na altura de Comendador Soares, na manhã de hoje.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa ao UOL, o parlamentar declarou que "bandidos" fizeram disparos contra o veículo onde ele estava e os seguranças que o acompanhavam atiraram de volta, segundo o relato.

O deputado Alexandre Knoploch agradece a preocupação de todos os seus eleitores e informa que estava passando pela Via Dutra, na altura de Comendador Soares, na manhã desta segunda-feira (5), quando bandidos fizeram disparos contra o veículo onde ele estava. Para proteger o parlamentar, seus seguranças revidaram a injusta agressão.
Nota divulgada pela assessoria de imprensa de Alexandre Knoploch

O deputado também usou suas redes sociais para comentar o caso.

"Começo essa semana agradecendo a proteção de Deus. Bandidos atiraram contra o veículo em que eu estava, na Via Dutra. Mas meus seguranças agiram prontamente. Estamos todos bem", escreveu Knoploch no Twitter.

A assessoria do deputado afirmou que ele fez o registro do boletim de ocorrência do ataque, mas não informou em qual delegacia. Disse ainda que o político "está em agenda" e não falará com a imprensa no momento.

Ao UOL, a Polícia Civil declarou que, "de acordo com a 56ª DP (Comendador Soares), os agentes estão em diligências em busca de imagens e testemunhas que ajudem a esclarecer os fatos".

A reportagem também entrou em contato com a Polícia Militar do Rio de Janeiro e questionou sobre a ocorrência, mas não obteve resposta até a publicação deste texto.

Política