PUBLICIDADE
Topo

Política

Ouça os áudios que levaram à prisão do ex-diretor da Saúde na CPI

Gabriel Toueg

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/07/2021 18h46Atualizada em 08/07/2021 09h58

O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM) deu voz de prisão hoje ao servidor exonerado do Ministério da Saúde Roberto Dias, ex-diretor do Departamento de Logística em Saúde da Secretaria Executiva da pasta. "[Dias] vai ser recolhido agora pela polícia do Senado, ele está mentindo desde a manhã, dei chances para ele o tempo todo", afirmou o senador. "Os áudios que temos do Dominguetti são claros".

A decisão de Aziz ocorreu depois da divulgação de uma troca de mensagens em áudios, que segundo a CPI, estão registrados no celular de Luiz Paulo Dominguetti Pereira, cabo da Polícia Militar de Minas Gerais que depôs na semana passada à comissão depois de acusar um servidor da Saúde de ter pedido 1 dólar de propina por dose na compra da vacina indiana Covaxin. O celular de Dominguetti está em poder da CPI.

As mensagens trocadas nos áudios colocam em xeque a versão de Dias de que foi ocasional o encontro em um restaurante de um shopping em Brasília, em que teria ocorrido o pedido de propina — o que o ex-diretor nega que tenha havido. Depois de Aziz dar voz de prisão a Dias, os áudios, revelados pela CNN, foram reproduzidos na sessão.

Veja a transcrição dos áudios

No primeiro áudio, Dominguetti se refere a um interlocutor pelo nome Rafael. "A compra vai acontecer, tá? Estamos na fase burocrática", diz o PM. "Em off, pra você saber, quem vai assinar é o [Roberto] Dias mesmo, tá? Caiu no colo do Dias e a gente já se falou". Ouça a íntegra no vídeo acima.

Ainda na mensagem, Dominguetti fala sobre uma reunião que ocorreria dias depois. "Quinta-feira a gente tem uma reunião pra finalizar com o Ministério", diz. Segundo a CNN Brasil, os áudios teriam sido enviados na tarde de 23 de fevereiro, uma terça-feira, dois dias antes da reunião. "Estou em Brasília até agora, entra e sai de reunião no Ministério [...]. Mas essa conversa que estou tendo contigo é em off".

O encontro relatado por Dominguetti à CPI ocorreu na tarde do dia 25 de fevereiro, uma quinta-feira, no final da tarde.

No dia 25, às 14h51, segundo a CNN, "Rafael" envia um áudio perguntando se Dominguetti teria combinado "alguma coisa pra encontrar com o Dias". O PM então responde que estava "tudo redondinho". "O Dias vai ligar pro Cristiano [Carvalho, representante da Davati no Brasil] e conversar com o Herman [Cárdenas, CEO da empresa] ainda hoje", avisa.

"Ele está afinando essa compra aí, em várias reuniões, já [certificando] a turma de que a vacina já tá à disposição do Brasil. Então ele vai ligar pro Cristiano [e] aí o Cristiano e o Herman se acertam com ele [sobre] como vai ser esse processo de compra, documentação, pagamento", diz Dominguetti.

Ele finaliza: "Se o pagamento for AstraZeneca, melhor ainda, viu?", em referência à vacina britânica.

Política