PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Senadora da CPI diz que Dias pressionava servidores da Saúde por contratos

Senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) no UOL News - Reprodução
Senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) no UOL News Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

07/07/2021 09h22Atualizada em 07/07/2021 09h35

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) afirmou hoje que o ex-chefe de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias Ferreira, pressionava servidores para acelerar contratos irregulares para compra de vacinas. Dias presta hoje depoimento na CPI da Covid.

"A presença dele será um dos pontos altos da CPI exatamente pela função estratégica que ele tem dentro do Ministério da Saúde. É um operador, colocava a mão na massa, fazia negociações, a gente percebe que ele pressionava seus subordinados e nessa pressão há uma demonstração clara de que ele fazia caminhar vacinas que tinha interesse", disse Eliziane ao UOL News.

A senadora da CPI relembrou que o governo demorou apenas 97 dias para assinar contrato pela vacina Covaxin, mas a contratação da Pfizer levou 330 dias.

"O depoimento de hoje será muito importante. Não vai ser novidade se ele negar as informações passadas por depoentes anteriores e [acareações] serão fundamentais para dirimir dúvidas que poderão ficar ao longo dos próximos dias e depois das quebras de sigilo e da análise de vastos documentos que já recebemos."

Dias será cobrado a explicar fatos narrados na CPI pelo policial militar Luiz Paulo Dominghetti Pereira. Na semana passada, o cabo da PM de Minas Gerais, acusou Dias de pedir propina de US$ 1 por dose em uma suposta negociação para a aquisição de 400 milhões de unidades da vacina Oxford/AstraZeneca.

O pedido de propina teria sido feito durante jantar num restaurante de Brasília. A CPI solicitou ao local as imagens das câmeras de segurança do dia do encontro, mas não teve acesso ao material. "A gente tem as quebras de sigilo em relação às imagens, mas o restaurante informou à CPI que tem a prática de apagar as imagens. Sabemos que isso é conversa para boi dormir", afirmou a senadora Eliziane.

"Houve diligência também no shopping [onde o restaurante está localizado], há várias câmeras no entorno inclusive já fizemos pedido de busca para que imagens cheguem até nós."

Eliziane também disse que a CPI recebeu vastos documentos que precisam de profissionais especializados para a leitura. "Recebemos os dados, mas não fizemos a leitura plena de todos. Alguma parte foi lida".

A senadora ainda disse que personagens que cometeram crimes e que estão sendo identificados pela CPI já se envolveram em irregularidades de governos anteriores. "Parece que são as mesmas pessoas que cometem os mesmos crimes em governos diferentes. Elas acabam se aproximando e estão lá presentes com o objetivo de desviar dinheiro público". Ela não revelou quem são esses personagens.

Política