PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Presidentes de partidos querem derrubar PEC do voto impresso, diz jornal

Movimento é reação a ameaça de Braga Netto às eleições de 2022 - ADRIANO MACHADO
Movimento é reação a ameaça de Braga Netto às eleições de 2022 Imagem: ADRIANO MACHADO

Do UOL, em São Paulo

22/07/2021 21h16

Os presidentes do PSDB, DEM, Solidariedade, MDB e PSD estão articulando a derrubada da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que institui o voto impresso já nas eleições de 2022. A informação é do Estadão. A proposta é fortemente defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus apoiadores.

Segundo o jornal, o movimento que já vinha ocorrendo há algum tempo ganhou força após a revelação de que o ministro da Defesa, general Braga Netto, teria dito que poderia não haver eleições em 2022 se o voto impresso não fosse aprovado.

O Estadão informou aind que a PEC também é rejeitada por outros partidos, mas o movimento vem sendo encabeçado pelos que foram mencionados. Na prática, além de rejeitar em votação, os partidos querem evitar que a comissão que analisa o tema seja prorrogada, para que o assunto seja encerrado logo.

"O nosso trabalho é para rejeitar esse absurdo", disse o presidente do DEM, ACM Neto, ao Estadão. "Essa coisa do Braga Netto acaba reforçando a articulação contra (a PEC)", afirmou. "A gente vai fazer tudo para votar esse negócio do voto impresso e derrubar logo na comissão", completou.

Além dele, o deputado Fábio Trad (PSD-MS), que é membro titular da comissão especial, declarou ao jornal que a orientação do partido é para rejeitar e que a declaração de Braga Netto reforça a articulação: "Esta ameaça do Braga Netto aumentou a indisposição com a PEC".

Bolsonaro tem insistido em quase todas as suas falar na defesa do voto impresso. Ele afirma, erroneamente, que o motivo para a adoção do novo modelo é a necessidade de possibilitar uma auditoria. Porém, o modelo atual de votação digital é auditável.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) vem reiterando que as eleições no Brasil são seguras e confiáveis e que nunca houve fraude desde a adoção das urnas eletrônicas.

Política