PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Schelp: Bolsonaro usa desculpa para justificar fracasso na gestão da covid

Do UOL, em São Paulo

29/07/2021 08h55Atualizada em 29/07/2021 10h42

O colunista do UOL Diogo Schelp disse hoje, em participação no UOL News, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usa uma desculpa para justificar o que chamou de "fracasso" na gestão da pandemia da covid-19.

Ontem, o STF (Supremo Tribunal Federal) reafirmou, pelo Twitter, que não proibiu o governo do mandatário de agir no combate à pandemia da covid-19, como costumam dizer o presidente e seus ministros.

No sábado (24), Bolsonaro disse a apoiadores que se ele estivesse "coordenando a pandemia, não teria morrido tanta gente".

"O STF não proibiu o governo federal de agir na pandemia! Uma mentira contada mil vezes não vira verdade!", diz o post, acompanhado de um vídeo curto.

O presidente Bolsonaro volta e meia usa essa desculpa. Para justificar o fracasso do governo federal na gestão da pandemia, ele diz que simplesmente estava de mãos amarradas. Já usou essa desculpa diversas vezes, fez isso novamente no fim de semana em uma live com o filho dele, o deputado federal Eduardo Bolsonaro. A gente vê agora, alguns dias depois, uma resposta do STF, um vídeo muito curto, mas muito direto, dizendo que isso é uma mentira. Basicamente o STF está chamando o presidente de mentiroso sem citar o presidente, obviamente, mas rebatendo claramente essa afirmação do presidente Jair Bolsonaro Diogo Schelp

No vídeo, a corte volta a esclarecer que estabeleceu que o Executivo federal, estadual e municipal deveriam atuar em conjunto nas ações para conter a transmissão do coronavírus.

"É falso que o Supremo tenha tirado poderes do Presidente da República de atuar na pandemia", fala. "É verdadeiro que o STF decidiu que União, estados e prefeituras tinham que atuar juntos, com medidas para proteger a população."

A fala faz referência à decisão do STF de abril do ano passado, em que os ministros decidiram que estados e municípios tinham autonomia para determinar as próprias medidas em relação à pandemia. O presidente já declarou várias vezes que esse entendimento o proibiria de agir contra a doença, o que não é verdade.

A falta de coordenação pelo governo federal para frear a covid-19 no Brasil e o incentivo do presidente ao uso de medicamentos sem eficácia comprovada para a doença estão entre as principais vertentes de investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid do Senado. A demora para a vacinação adquirir ritmo no Brasil e a aposta em tratamentos ineficazes estão entre as causas apontadas para o país ter quase 550 mil mortos pela doença, dizem especialistas em saúde.

Bolsonaro e seu entorno costumam dizer que a decisão do STF sobre a competência dos estados para decidir medidas de contenção do vírus teria limitado a atuação do governo federal. O entendimento do STF, no entanto, é de que todos — União, estados e municípios — são responsáveis por esse enfrentamento.

Política