PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Brígido diz que live de Bolsonaro 'pegou muito mal' na cúpula do Judiciário

Do UOL, em São Paulo

30/07/2021 12h31Atualizada em 30/07/2021 14h20

A colunista do UOL Carolina Brígido disse hoje, em participação no UOL News, que a live feita ontem pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) "pegou muito mal na cúpula do Judiciário". O mandatário voltou a mentir ao alegar fraude nas eleições com a urna eletrônica.

Brígido disse que os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) acompanharam a live. Um deles, em reservado, classificou como "patético" e "ridículo" o fato de o mandatário anunciar uma live dizendo que tem provas quando, na verdade, o discurso foi apresentar vídeos que circulam na internet, por exemplo.

Na cúpula do judiciário pegou muito mal essa live porque o presidente Bolsonaro anunciou muito tempo antes que traria provas contundentes de que a urna eletrônica é passível de fraude e que o sistema eleitoral brasileiro não tem tanta credibilidade assim quanto as autoridades eleitorais dizem. Os ministros todos do STF e do TSE acompanharam a live, queriam saber que provas são essas e teve um determinado momento da live que o Bolsonaro disse 'para todos que dizem que não existe prova de que o sistema eleitoral é fraudável, eu devolvo a pergunta, eu quero que me provem que ele não é fraudável'. É uma inversão do ônus da prova, no Direito a gente sabe que o ônus da prova cabe a quem acusa Carolina Brígido

O presidente reciclou uma série de boatos já desmentidos, além de levantar suspeitas infundadas sobre os resultados de eleições anteriores. Nunca houve fraude comprovada nas eleições brasileiras desde a adoção da urna eletrônica.

Defensor do voto impresso, o presidente promete apresentar provas de fraude nas urnas eletrônicas há mais de um ano.

Brígido publicou hoje em sua coluna no UOL que o ministro do STF Alexandre de Moraes deve decidir nos próximos dias se inclui o presidente no inquérito que investiga fake news e ataques a ministros da Corte.

O pedido foi feito pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) ontem, depois que Bolsonaro disse que "o Supremo cometeu crime", porque permitiu que prefeitos e governadores proibissem as pessoas de saírem de casa. Na cúpula do Judiciário, a avaliação é de que ele ultrapassou os limites ontem com a acusação de que o STF cometeu crime.

Política