PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Joice: Bolsonaro só não deu golpe 'porque não tem as Forças Armadas'

Colaboração para o UOL

09/09/2021 09h23

Apesar de estar no PSL, a deputada Joice Hasselmann afirmou não se sentir mais pertencente ao grupo e criticou duramente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com quem compartilhava a legenda. Ao UOL News, Joice comentou sobre as manifestações de 7 de setembro e o Brasil depois disso.

Segundo a deputada, Bolsonaro e os apoiadores utilizam uma "massa de manobra que fazem tão bem, no modelo que Hitler fazia". "Eles criam bem o efeito manada com redes sociais, fake news, robôs. Muita gente que está na rua não faz a menor ideia do que está fazendo aí, esse 'gado' é justamente por isso. Temos que abrir os olhos de que estão sendo manipulados", falou.

Joice afirmou que o presidente não pensa no Brasil e que a subida ao poder "deixou Bolsonaro louco". "O golpe só não aconteceu porque ele não tem as Forças Armadas e o Supremo (Tribunal Federal) faz sua resistência", disse.

Sobre a filiação política, ela falou que não é mais PSL. "Vendo o partido entregue de novo aos bolsonaristas, temos Bia Kicis na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania), é surreal uma coisa dessas. Entrei no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para pedir desfiliação por justa causa, não me representa mais", afirmou.

"PSL virou biruta de aeroporto, cada hora vai para um lado", explicou. "Bolsonaro saiu do partido, mas o partido não saiu do Bolsonaro", completou.

A deputada confirmou que irá às manifestações de domingo (12) contra o governo de Bolsonaro e a favor da democracia. Ela disse que estará na Avenida Paulista de forma pacífica e usará branco, porque "o presidente da República e os lunáticos dele sequestraram as cores do país".

Suposta agressão

Em julho, a deputada denunciou ter sofrido agressão enquanto estava em sua residência em Brasília. Joice negou ser caso de violência doméstica e afirmou suspeitar de adversários políticos.

No entanto, a PCDF (Polícia Civil do Distrito Federal) concluiu em agosto que a política teria sofrido uma queda da própria altura. "No caso, não se evidenciou quaisquer elementos que apontassem para a prática de violência doméstica ou atentado/agressão por parte de terceiros", disse a polícia.

Na entrevista, Joice afirmou compreender o motivo da investigação ter terminado, mas que continuará averiguando o caso. "Chegou à conclusão óbvia que não era agressão doméstica, mas o que explica o galo na cabeça e as outras coisas? Não tenho 90 anos, tem gente que em uma queda se quebra toda. Pratico esporte, sou jovem, então o que aconteceu? Está entalado", contou.

"Quem sabe alguém tenha uma crise de culpa e venha a se entregar, apontar o que aconteceu. Mas como seguir na investigação sem imagem? Além de redobrar a segurança, estou de olhos bem abertos", disse.

Política