PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Zé Trovão está no México e vai se entregar à polícia, diz defesa

Stella Borges

Do UOL, em São Paulo*

09/09/2021 12h56Atualizada em 09/09/2021 16h36

O caminhoneiro bolsonarista Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, está no México e vai se entregar às autoridades locais, segundo informou Levi de Andrade, advogado dele, ao UOL.

Zé Trovão teve a prisão solicitada pela PGR (Procuradoria-Geral da República) e determinada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes na última sexta-feira (3). Ele é suspeito de promover a incitação de atos violentos contra o Congresso Nacional e o STF por meio das redes sociais e teria descumprido ordens cautelares determinadas anteriormente por Moraes.

Segundo Andrade, seu cliente está em um hotel na Cidade do México e deve ser preso nas próximas horas, para então ser transportado de volta ao Brasil. O advogado disse que entrou com "vários" habeas corpus no Supremo para evitar a prisão.

No início da tarde de hoje, o próprio Zé Trovão divulgou um vídeo em sua conta no TikTok afirmando que havia sido localizado e que iria se entregar para ser preso.

Em alguns momentos eu devo ser preso. Eu não vou mais fugir, chega, eu estou cansado disso. Para quem não sabe, eu estou no México e a embaixada brasileira acaba de entrar em contato com o hotel que eu estou. Então, em alguns momentos, provavelmente a polícia vem aqui me recolher e vai me levar preso. Eu não cometi nenhum crime, eu estou indo para o Brasil, provavelmente preso, preso politicamente, por crime de opinião."
Zé Trovão em vídeo

Mesmo foragido, Zé Trovão continuou gravando vídeos e incitando os atos do dia 7 de setembro. Ele apareceu em um vídeo publicado ontem nas redes sociais incitando caminhoneiros a bloquearem rodovias e a "fecharem tudo" hoje.

"A partir das 6h da amanhã, do dia 9 de setembro, todas as bases brasileiras: fechem tudo, não passa mais nada. Somente ambulância, oxigênio e remédio. Acabou. Não passa mais nada. Estão brincando com a democracia, nos tirando de otário. Nós precisamos resolver o problema do Brasil, agora, nesta semana. Chegou a hora de mudarmos tudo de uma vez. Povo brasileiro: vá amanhã para as ruas ajudar os caminhoneiros. É para trancar tudo. Vamos embora. Vamos salvar o Brasil. Fecha tudo", disse ele na gravação.

Também ontem, o caminhoneiro postou um vídeo em que convocava manifestantes a irem a Brasília para levar pedidos de impeachment de ministros do STF ao Senado.

No sábado (4), ele publicou um vídeo em que disse que estaria na avenida Paulista durante a manifestação que ocorreu anteontem e ainda mandou uma mensagem para o ministro Moraes: "Que tal você mesmo vir à Paulista no dia 7 de setembro e me prender?".

Além de incitar ataques às instituições de manifestações no dia da Independência, Zé Trovão também tem defendido o fechamento de vias públicas pelos caminhoneiros.

Ontem, um áudio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que circulou nos grupos de caminhoneiros, pedia que os apoiadores não impedissem o tráfego nas estradas. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, também publicou um vídeo nas redes sociais pedindo que as vias públicas não fossem fechadas.

Pressão sobre o Senado

O caminhoneiro também decidiu convocar os manifestantes, que ainda se encontram na Esplanada dos Ministérios, no centro da capital federal, para se deslocarem ao Senado para pressionar o presidente da Casa legislativa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a abrir um processo de impeachment do ministro Alexandre de Moraes.

"Todos os manifestantes que estão em Brasília, vocês têm que ir para a porta do Senado Federal. A pressão terá de ser em cima do Pacheco. Ele tem de ouvir o povo. Alguma coisa precisa ser feita. Vamos todo mundo lutar pelo Brasil", afirmou em um novo vídeo.

Segundo o advogado do caminhoneiro, o último vídeo foi gravado às 13h de hoje.

Apesar de a defesa ter afirmado que Zé Trovão iria se entregar à Polícia Federal hoje, publicações recentes vão na direção contrária. Trovão diz que não vai se entregar, "a pedido do povo".

Em vídeo gravado ao lado do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, divulgado na tarde de hoje, Trovão tenta desvincular Bolsonaro dos atos de caráter golpista e dos bloqueios de caminhoneiros e volta a atacar Moraes.

"As manifestações foram chamadas por vários líderes do Brasil, inclusive o Trovão. A manifestação não foi convocada por Bolsonaro, não é pró-Bolsonaro. Ela tem uma pauta específica que é o impeachment dos ministros do STF", diz Eustáquio, investigado no inquérito das fake news no STF.

*Com Lola Ferreira, do UOL, no Rio

Política