PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Esposa diz que Eduardo Bolsonaro está isolado em casa e limpando armas

Heloisa Bolsonaro diz que marido passa bem após diagnóstico de covid-19 - Reprodução
Heloisa Bolsonaro diz que marido passa bem após diagnóstico de covid-19 Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

24/09/2021 20h38Atualizada em 25/09/2021 12h16

A mulher do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Heloisa Bolsonaro, contou hoje nas redes sociais que o marido passa bem, está isolado em casa e aproveitando o tempo para limpar as armas, atividade que considera uma "terapia".

O filho 03 do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi diagnosticado com covid-19 após retornar da viagem a Nova York para a Assembleia-Geral das Nações Unidas. Além dele, os ministros Marcelo Queiroga (Saúde), Bruno Bianco (Advocacia-Geral da União) e Tereza Cristina (Agricultura), que também estavam na comitiva, confirmaram que estão com o novo coronavírus.

"Como o Edu vai ficar dez dias em casa, sem pisar fora de casa, sem receber reuniões, com certeza ele vai marcar muitas lives, ele já está fazendo um monte de coisa dentro de casa, consertando coisas... ele falou para mim, 'consertei as gavetas lá em cima', está limpando as armas dele, está arrumando coisa para fazer", disse Heloisa em uma série de publicações no Instagram.

Segundo ela, o marido está em uma área diferente da casa que ela e a filha, que tem pouco menos de um ano.

"Espero que ele se recupere bem. Ele está superbem, só está com coriza e um pouco congestionado, mas de resto, está bem, já está se tratando e, se Deus quiser, vai dar tudo certo e vai passar rápido", continuou.

Em transmissão ao vivo, Eduardo sugeriu estar usando medicamentos do chamado "kit covid", que não são eficazes para o tratamento da doença. Ele também contou estar com tosse e cansaço.

Heloisa disse ainda que contraiu o vírus no ano passado, enquanto estava grávida, e que Eduardo ficou o tempo todo com ela, mas não adoeceu.

O governo Bolsonaro teve início em 1º de janeiro de 2019, com a posse do presidente Jair Bolsonaro (então no PSL) e de seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB). Ao longo de seu mandato, Bolsonaro saiu do PSL e ficou sem partido. Os ministérios contam com alta participação de militares. Bolsonaro coloca seu alinhamento político à direita e entre os conservadores nos costumes.