PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

Queiroga sobre Bolsonaro: 'Teve dores abdominais por conta do atentado'

Do UOL, em São Paulo

03/01/2022 09h04Atualizada em 03/01/2022 14h43

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, comentou sobre o quadro clínico do presidente Jair Bolsonaro (PL), que está internado em um hospital de São Paulo após sentir dores abdominais. De acordo o ministro, a nova intercorrência de saúde do presidente aconteceu 'por conta daquele atentado de 2018', no qual Bolsonaro foi esfaqueado na barriga, durante o período eleitoral.

Bolsonaro, graças a Deus, está bem. Tenho informações que ele teve dores abdominais por conta daquele atentado contra ele, em 2018, e ainda hoje ele tem consequências, mas graças a Deus, ele está bem.
Marcelo Queiroga, ministro da Saúde

As declarações de Queiroga foram feitas durante um evento de recepção dos médicos que irão reforçar o atendimento à população nas áreas afetadas pelas fortes chuvas no estado da Bahia.

O ministro da Cidadania, João Roma e a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, também participaram do encontro, realizado no auditório do Ministério da Saúde, em Brasília.

Após a ocasião, os profissionais de saúde seguiram com os ministros, em comitiva, para Ilhéus, na Bahia.

Acompanhamento médico

Internado de madrugada por uma suboclusão intestinal, o quadro do presidente Jair Bolsonaro é estável, de acordo com o boletim médico do hospital Vila Nova Star, em São Paulo, emitido na manhã de hoje. O presidente segue em tratamento e será reavaliado nesta manhã, mas não há previsão de alta.

A informação sobre o quadro de saúde de Bolsonaro foi adiantada ao UOL na madrugada de hoje pelo médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, que operou o chefe do Executivo federal após a facada que levou no abdômen, em setembro de 2018, e acompanha o quadro do presidente.

O médico, que está em viagem nas Bahamas, disse que voará à capital paulista na manhã de hoje para tratar o presidente e que deve desembarcar em São Paulo na parte da tarde.

O presidente, diz o médico, está sob tutela de sua equipe e, como o quadro ainda é investigado, não se sabe se uma cirurgia será necessária.

Última internação em SP

A última internação do presidente Jair Bolsonaro em São Paulo ocorreu em julho de 2021, após passar por uma avaliação no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, e ser diagnosticado com um quadro de suboclusão intestinal.

O presidente foi hospitalizado, a altura, por complicações geradas pela facada de 2018. O presidente passou dias sofrendo com um soluço persistente e realizou o sétimo procedimento cirúrgico.

Após avaliações clínicas, laboratoriais e de imagem realizadas na unidade hospitalar, o presidente teve alta.

Política