PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Joel: 'A decepção de Olavo foi Bolsonaro ter sido autoritário de menos'

Do UOL, em São Paulo

25/01/2022 12h52

Para o economista Joel Pinheiro, Olavo de Carvalho se afastou do presidente Jair Bolsonaro (PL) por seu governo ser menos extremo do que ele prometia. "A decepção de Olavo era que Bolsonaro foi autoritário de menos", disse.

Joel, junto ao também colunista Leonardo Sakamoto, comentou o papel de Olavo de Carvalho no bolsonarismo durante a edição de 12h do UOL News, programa do Canal UOL.

O comentarista apontou que Olavo de Carvalho esperava que Bolsonaro, quando chegasse ao poder, exterminasse todos os seus inimigos, e por isso se decepcionou. "A sina de todo intelectual que ousa se aproximar do poder é descobrir que o poder vai usá-lo e descartá-lo quando for conveniente."

No começo do governo, Olavo de Carvalho era uma figura influente, tendo indicado para ministros da Educação Ricardo Vélez e Abraham Weintraub. Este último, que é pré-candidato ao governo de São Paulo e também já manifestou decepção com Bolsonaro e sua aproximação com o Centrão, foi aluno de Olavo de Carvalho, assim como o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

O Olavo e a influência que ele teve sobre centenas de milhares, talvez até milhões de pessoas, nas redes sociais e na internet, foi um dos formadores dessa massa de militância que forma a direita mais radical que apoia Bolsonaro hoje em dia.
Joel Pinheiro, economista e comentarista do UOL News

O economista relembrou ainda a trajetória de Olavo de Carvalho em meio ao esoterismo e relacionou essa base com suas ideias políticas. Ele apontou que Olavo criou uma atmosfera de seita com seus alunos que, segundo Joel, foram "fanatizados".

O escritor e guru bolsonarista Olavo de Carvalho morreu nesta segunda-feira (24) aos 74 anos nos Estados Unidos. A informação foi confirmada em nota pela família postada no perfil dele nas redes sociais. A causa da morte não foi informada.

Política