PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Maierovitch: Convivência de Aras com Bolsonaro o fez perder compostura

Colaboração para o UOL

25/05/2022 08h57Atualizada em 25/05/2022 09h04

O colunista do UOL Wálter Maierovitch disse, durante comentário no UOL News hoje, que o procurador-geral da República, Augusto Aras, perdeu a compostura após a convivência com o bolsonarismo. Ontem, o chefe do MP (Ministério Público) aparece em um vídeo discutindo com um subprocurador durante reunião do Conselho Superior do MP.

"Essa convivência do Aras, o 'fino bolsonarismo' do Aras, levou a ele a perda da compostura. Ele não tem mais a postura de um procurador-geral", disse o jurista.

A transmissão da reunião do conselho foi interrompida quando o procurador bateu na mesa, se levantou e se dirigiu à cadeira do colega Nívio de Freitas, com quem discutia. Outros integrantes do conselho se levantaram para impedir que a discussão virasse briga física. Seguranças também foram acionados para conter a situação.

"Ato indigno por parte de um procurador, chefe do MP. Se transformou não num procurador que defende a sociedade, a Constituição, não. Ele é um advogado do Bolsonaro. Nunca o Aras seria procurador-geral se não fosse pelo Bolsonaro, ele não tinha prestígio nenhum", acrescentou Maierovitch.

Massacre nos EUA

Durante o UOL News, Wálter Maierovitch também afirmou que o discurso pró-armas do presidente Jair Bolsonaro (PL) pode incentivar o acontecimento de massacres como o visto nos Estados Unidos ontem, quando pelo menos 19 crianças, uma professora e um adulto não identificado morreram após um atirador fazer diversos disparos na Robb Elementary School, uma escola localizada no Texas.

"O Brasil, com essa política do Bolsonaro de incentivo ao uso de armas, compra de munições e equipamentos de precisão para os tiros, se não parar, vai ter uma situação igual à norte-americana. Para ele, arma é instrumento de defesa, para os civilizados arma é instrumento de ataque".

As vítimas nos EUA chegaram a ser socorridas a um hospital local, mas não resistiram aos ferimentos. Múltiplos feridos estão sendo atendidos em duas unidades de saúde da região. O criminoso, um rapaz de 18 anos que estudava no colégio, foi morto durante a ação.

Política