PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Sakamoto: Lula deixa claro que não quer promover inimizade com militares

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/07/2022 19h07

A declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre os militares serem "mais responsáveis" do que o presidente Jair Bolsonaro (PL) é uma sinalização de que o petista pretende ter uma relação pacífica com eles, avaliou o colunista do UOL Leonardo Sakamoto.

"Lula sabe que não vai conseguir virar o posicionamento de um grupo dentro das Forças Armadas que é a favor de Bolsonaro", disse Sakamoto, durante participação no UOL News. "Já que ele não vai conseguir trazer para o lado dele, [Lula] está deixando claro que não vai criar caso, que vai ter um governo, da mesma forma que teve nos seus oito anos de mandato, em comunhão e paz com as Forças Armadas", acrescentou.

As falas de Lula aconteceram nesta semana em entrevista ao UOL.

"Acho que ele vai tentar fazer o que quer fazer. [Mas] a gente deve ter em conta que militares são mais responsáveis que Bolsonaro", afirmou o ex-presidente sobre possibilidade de golpe. "Convivi com militares e não tenho queixa do comportamento das Forças Armadas. Mantive oito anos de convivência da forma mais digna possível."

Sakamoto lembrou que Lula chegou a dizer que, se fosse eleito, tiraria parte significativa dos militares do governo.

"Agora, ele modula esse discurso garantindo uma paz com eles. Não espera que os militares façam campanha para ele, mas que se tenha pelo menos uma situação pacífica", disse o jornalista.

"Ele quer mostrar que não vai ser revanchista, ou seja, um Lula 'paz e amor' inclusive junto aos militares", concluiu.

Apuração da colunista Carla Araújo mostrou que as declarações de Lula tiveram uma boa repercussão entre militares da ativa, apesar do petista ainda sofrer críticas de parte dos membros do Exército.

Assista ao UOL News na íntegra:

Política