PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
3 meses

Empresas pagarão auxílio-doença menor a não vacinados no Reino Unido

Empresas pagarão auxílio-doença com valor menor a pessoas que não se vacinarem contra a covid no Reino Unido - Reprodução/Agência Brasil
Empresas pagarão auxílio-doença com valor menor a pessoas que não se vacinarem contra a covid no Reino Unido Imagem: Reprodução/Agência Brasil

Gilvan Marques

Da AFP, em Londres (Reino Unido)

18/01/2022 17h29

Algumas empresas no Reino Unido, como Next, Ikea, Morrisons e Ocado, pagarão benefícios menores de licença médica aos seus funcionários não vacinados forçados a se isolarem devido à covid-19, para incentivá-los a se imunizar e reduzir os custos relacionados à pandemia.

A gigante sueca de móveis Ikea enfatiza em seu comunicado que, para ausências relacionadas ao vírus, "funcionários vacinados e não vacinados que tenham motivos específicos, como gravidez ou outras razões médicas, receberão seu pagamento integral".

Já quem não for vacinado sem justificativa médica receberá apenas o mínimo legal de auxílio-doença (Statutory Sick Pay, SSP), que é menor.

Contactados pela AFP, a rede de vestuário Next, a distribuidora alimentar Ocado e os supermercados Morrisons disseram à AFP que vão dar o subsídio de doença em vigor na empresa a todos os colaboradores que testarem positivo para covid-19, mas apenas o mínimo (SSP) aos não vacinados, que devem se isolar em casos de contato, salvo exceções.

Com a variante ômicron, que é altamente contagiosa, milhões de britânicos são casos de contato de pessoas com covid-19.

Saúde