Príncipe Harry diz se arrepender de não ter falado sobre a morte de sua mãe

Durante um evento de uma organização de caridade dedicada a questões de saúde mental, o príncipe Harry afirmou ter se arrependido de não ter falado sobre a morte de sua mãe, a princesa Diana, e como isso o prejudicou por anos.

O príncipe tem hoje 31 anos. Quando sua mãe morreu em um acidente de carro, em 1997, ele tinha apenas 12.

Harry é um dos cofundadores da Head Together, rede criada com o irmão, o príncipe William, e a mulher dele, Kate Middleton, para reunir as principais ONGs de saúde mental do Reino Unido.

  • 'Baía de Guanabara ainda não está sepultada': documentarista mostra vida marinha em palco de Jogos
  • Karen Walsh, a atriz que transformou suas sessões de quimioterapia em festas a fantasia

À BBC, Harry disse que o evento em que se abriu sobre sua dificuldade em lidar com a perda de Diana é uma oportunidade de mostrar que qualquer um pode ter problemas mentais, inclusive a realeza.

"Não tem problema sofrer, mas você precisa falar disso. Não é uma fraqueza. Ser fraco é ter um problema e não admitir isso e não resolvê-lo", disse o príncipe.

Personalidades como o ex-jogador de futebol Rio Ferdinand, os velocistas Kelly Holmes e Iwan Thomas e a ciclista Victoria Pendleton também participaram do evento - alguns deles deram relatos sobre como lidaram com problemas como a depressão.

"As pessoas pensam que você tem uma carreira, estabilidade financeira, família, uma casa, todo esse tipo de coisa, e acham que isso é tudo que você precisa e que não tem problemas", afirmou Harry.

O príncipe comentou sobre o impacto da morte de Diana enquanto conversava com Ferdinand durante o evento: "Sabe, realmente me arrependo de nunca ter falado sobre isso".

  • Como usar o novo tipo 'secreto' de letra do WhatsApp

O ex-jogador é pai de três filhos com Rebecca Ellison, que morreu de câncer no ano passado, e falou para Harry sobre como lidar com a morte de um ente querido.

"Ele (Harry) passou por diferentes estágios em sua vida pelos quais meus filhos passarão também", disse Ferdinand. "Saber um pouco mais de sua experiência é muito gratificante e educativo."

À BBC, Harry disse ser "muito fácil para uma pessoa olhar para alguém como Rio Ferdinand e dizer: você ganha todo o dinheiro do mundo, é um jogador bem-sucedido, tem carros incríveis".

"Mas, no fim das contas, sua mulher foi arrancada dele muito cedo. Claro que ele vai sofrer, não importa se ele tem um emprego maravilhoso."

Campeão europeu dos 400 m, Thomas contou ao príncipe que sofreu ao ter de encerrar sua carreira cedo devido a lesões.

Harry também conversou com a atleta Kelly Holmes, que disse ter enfrentado problemas mentais após se lesionar antes da Olimpíada de 2004, na qual ganhou a medalha de ouro nos 800 e 1.500 metros rasos.

"Tive depressão ao longo de toda minha carreira como atleta. Ninguém sabia pelo que estava passando. Estava me tratando (da lesão) e chorava. As pessoas pensavam que era porque o tratamento era difícil. Só falei mais abertamente sobre isso nos últimos três ou quatro anos."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos