Rede federal de saúde do Rio anuncia paralisação contra temporários

Alfredo Mergulhão

No Rio

  • Divulgação/Defensoria Pública da União

    Há quatro anos, o atendimento no setor de emergência Hospital Geral de Bonsucesso, na zona norte, se dá em contêineres instalados no pátio

    Há quatro anos, o atendimento no setor de emergência Hospital Geral de Bonsucesso, na zona norte, se dá em contêineres instalados no pátio

Os servidores que trabalham na rede federal de saúde no Estado do Rio de Janeiro anunciaram uma paralisação de 24 horas para protestar contra a contratação de funcionários temporários e a instalação de ponto biométrico nas unidades. Eles planejam cruzar os braços no próximo dia 26.

A decisão foi tomada em assembleia na manhã desta quinta-feira (7), mesmo dia em que o Ministério da Saúde anunciou que contratará 2.493 profissionais temporários para os hospitais federais do Rio.

"Esses concursos temporários não resolvem a situação. Os profissionais não têm direito a férias, não podem ficar doentes e o salário não é digno. Precisamos de concurso real", questionou o diretor do Sindsprev-RJ (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência Social no Estado do Rio de Janeiro), Sebastião de Souza.

As vagas abertas nesta quinta-feira pelo Ministério da Saúde atenderão aos hospitais do Andaraí, de Bonsucesso, de Ipanema, da Lagoa, Cardoso Fontes e dos Servidores do Estado, além dos institutos nacionais de Cardiologia e de Traumatologia e Ortopedia.

Ao todo, serão 693 médicos, 605 enfermeiros, 580 técnicos de enfermagem, 341 analistas de gestão e 274 técnicos de suporte. As contratações vão custar R$ 130,9 milhões por ano em 2016 e 2017.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos