Metade dos médicos recém-formados é reprovada em exame

São Paulo - Quase metade dos médicos recém-formados do Estado de São Paulo reprovou no exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) no ano passado. Em 2015, dos 2.726 médicos que fizeram a prova, 48,1% não acertaram 60% das 120 questões da prova, porcentual mínimo exigido pelo conselho.

Entre os médicos formados em escolas privadas de Medicina, a reprovação é ainda maior: 58,8%. Enquanto nas escolas públicas paulistas, a média de reprovação foi de 26,4%.

Segundo o presidente do Cremesp, Bráulio Luna Filho, houve uma ligeira melhora no índice de aprovação em relação aos anos anteriores, mas disse que a média ainda é preocupante. Em 2014, os reprovados foram 55% do total e, em 2013, 59,2%.

O exame, no entanto, não é obrigatório e sua reprovação não impede que os médicos recém-formados exerçam a profissão. "No Brasil, não existe uma lei que impeça que esse indivíduo, identificado como incompetente para a atividade (pelo exame do conselho) entre para a atividade médica. O conselho lamenta que essa seja a nossa legislação", disse Luna Filho.

Das 30 escolas de Medicina paulistas que tiveram alunos que fizeram o exame no ano passado, apenas 15 tiveram média de acertos na prova superior a 60%, das quais nove são instituições públicas e seis, particulares.

Isabela Palhares

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos