Pasta da Saúde economizou R$ 1 bi que será destinado ao atendimento, diz ministro

Em Brasília

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    O ministro da Saúde, Ricardo Barros, ao lado do presidente Michel Temer

    O ministro da Saúde, Ricardo Barros, ao lado do presidente Michel Temer

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou na manhã desta quarta-feira (14) que a pasta conseguiu fazer uma economia de R$ 1 bilhão, que serão destinados para o custeio de 99 Unidade de Pronto-Atendimento (UPAs), a oferta de 1.401 novos serviços nas Santas Casas e Hospitais filantrópicos e ampliação da oferta de medicamentos.

"Extinguimos 417 cargos, sendo 335 de livre nomeação", disse Barros, ao explicar a origem dos recursos.

As portarias para o custeio de uma Unidade de Pronto-Atendimento em parceria com a prefeitura de Belo Horizonte e recursos de média e alta complexidade a serem incorporados no sistema de saúde do Estado da Bahia foram assinadas durante o evento no Palácio do Planalto que tratou das ações adotadas nos últimos quatro meses.

De acordo com a pasta, para o financiamento de 1.401 novos serviços de Santas Casas serão destinados R$ 371 milhões por ano e os credenciamentos beneficiarão 216 hospitais. A meta do ministério é que os pagamentos sejam feitos até dezembro.

Em novos medicamentos, a pasta investirá R$ 222 milhões que permitirão ampliar em 7,4 milhões de unidades a oferta de medicamentos e vacinas do SUS. Além disso, há a previsão de aportes de R$ 227 milhões para a produção no Brasil da vacina meningocócica.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos