Rio organiza vacinação para 'bloquear' febre amarela no Estado

Rio de Janeiro - O governo do Estado do Rio elevou nesta quarta-feira, 18, o nível de vigilância em relação à febre amarela nos 14 municípios das regiões norte e noroeste fluminense, que fazem divisa com Minas Gerais e Espírito Santo. Os pacientes com sintomas característicos da doença - febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos, por, em média, três dias - receberão atenção especial.

Foram solicitadas ao Ministério da Saúde 250 mil doses da vacina contra a febre amarela, que serão distribuídas às prefeituras dessas cidades. A ideia é criar um bloqueio contra o vírus, que é transmitido por mosquitos, em geral, em áreas silvestres; nas áreas urbanas, a transmissão é feita pelo Aedes aegypti, o mosquito da dengue. O governo vai ainda disponibilizar 400 mil seringas de vacinação para o governo do Espírito Santo.

A medida é preventiva - não foi registrado nenhum caso de febre amarela no território fluminense em 2016 e 2017, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. A orientação é que não é preciso vacinar quem vive nos outros municípios do Estado, apenas nas regiões Norte e Noroeste, a menos que a pessoa viaje para áreas com transmissão comprovada da doença. A imunização deve ser a pelo menos dez dias da viagem. Em Minas, foram confirmadas sete mortes em decorrência da doença.

O nível de vigilância foi elevado em Santo Antônio de Pádua, Miracema, Laje do Muriaé, Itaperuna, Natividade, Porciúncula, Varre-Sai, Bom Jesus do Itabapoana, São Francisco de Itabapoana, Cantagalo, Carmo, Sapucaia, Comendador Levy Gasparian e na área norte de Campos dos Goytacazes.

Roberta Pennafort

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos