Topo

Tecidos inteligentes também ajudam em casos de transpiração excessiva

Roupa esportiva produzida pelo "fio inteligente" Emana, da Rhodia: seca rápido e traz conforto ao corpo - Divulgação
Roupa esportiva produzida pelo "fio inteligente" Emana, da Rhodia: seca rápido e traz conforto ao corpo Imagem: Divulgação

Nancy Campos

Do UOL, em São Paulo

23/10/2012 07h00

Roupa molhada de suor é desagradável tanto para o corpo quanto para os olhos. O dermatologista Marcelo Drummond lembra que tecidos de algodão "sugam o suor" e permitem que haja um controle saudável da temperatura corporal, evitando obstruir a eliminação de água do organismo.

Porém, os fabricantes buscam desenvolver tecidos que tragam cada vez mais conforto nesse sentido. Para isso, levam em consideração fios e tramas que absorvam a transpiração, promovam a transferência da umidade do corpo para o ambiente e sequem rapidamente.

São os chamados tecidos inteligentes ou tecnológicos, pensados e desenvolvidos, entre outros motivos, para potencializar os benefícios das atividades físicas e minimizar os seus possíveis inconvenientes como a transpiração.

Nas atividades esportivas, o conforto relacionado à temperatura corporal e, consequentemente, à transpiração, é fundamental, uma vez que afeta o desempenho tanto de praticantes comuns quanto de atletas.

“Atualmente, com o forte crescimento da indústria de desenvolvimento de tecnologias aplicadas ao vestuário para a prática esportiva, o atleta pode se beneficiar com tecidos leves que facilitam a evaporação do suor”, diz Carla Amado, gerente de Women’s Training da Adidas.

Essas tecnologias também se estendem aos calçados da marca, reduzindo, em média, 20% da umidade no interior do tênis e 10% da temperatura dos pés. As tramas abertas, como um tricô, são igualmente utilizadas em calçados da Nike.

  • Os microcanais do fio Coolmax da Invista conduzem a transpiração para o lado externo do tecido, fazendo com que seque rapidamente

Rochas moídas

As últimas tendências nesta área apontam para o uso de minerais, ou seja, rochas moídas, nos tecidos, para manter o corpo aquecido, mas, ao mesmo tempo, trazer uma sensação de frescor ao esportista, segundo Amado.

Já a fabricante de tecidos Invista usa a tecnologia de microcanais nos fios, igualmente com o objetivo de gerenciar a umidade do corpo, mantendo-o enxuto ao evaporar o suor e fazer o tecido secar rapidamente.

Os praticantes de esportes na neve, como esqui e snowboard, também precisam tomar um cuidado especial relacionado à transpiração, que ocorre mesmo que as temperaturas estejam abaixo de zero.

Pedro Cavazzoni, superintendente técnico da Confederação Brasileira de Desportos na Neve, recomenda a chamada vestimenta em camadas. A primeira deve ser formada por roupas térmicas, bem coladas ao corpo e que absorvem o suor. A segunda, por peças de material sintético ou de lã, que protegem da umidade e do frio. Sobre elas, jaquetas e calças impermeáveis. Por fim, dois pares de meias: primeiro as de algodão, justamente para absorver a transpiração e, sobre estas, as sintéticas ou de lã.

No dia a dia

Enquanto estes novos produtos não chegam às confecções de roupas para o dia a dia, Elizabeth Haidar, gerente de Marketing da Rhodia, dá dicas para a escolha dos tecidos em geral: “O ideal é usar produtos de poliamida (o popular nylon), que têm uma boa absorção da umidade e secam facilmente. Portanto, uma dica é verificar se há este componente na etiqueta da roupa" - conta ela.

Além disso, ela lembra que o algodão absorve bastante a transpiração, mas seca lentamente. E o poliéster, apesar de secar mais rapidamente do que todos, apresenta baixo nível de absorção de água.

A trama do tecido também é importante: quanto mais aberta, melhor a evaporação do suor. Haidar sugere um teste: ao escolher uma roupa, puxe um pouco o tecido. Quanto menos esticar, mais fechada a trama.

Mais Notícias