Candidíase também pode ser transmitida por contato sexual

Priscila Tieppo

Do UOL, em São Paulo

  • AFP

    Calças justas, calcinhas de lycra e protetores diários podem favorecer a proliferação do fungo na mulher

    Calças justas, calcinhas de lycra e protetores diários podem favorecer a proliferação do fungo na mulher

O verão acabou e muita gente ficou com uma herança desagradável: a candidíase.  Esta infecção é causada por um fungo chamado Candida albicans. Ele faz parte da flora vaginal e, por isso, é mais comum que a infecção aconteça em mulheres. Mas os homens também podem apresentar candidíase. 

"Este fungo gosta de umidade e calor, pois esses fatores facilitam sua proliferação", explica o médico ginecologista do Hospital Sírio Libanês (SP), José Carlos Sadalla.

Mas a infecção também pode ocorrer por contato sexual. Isso não significa que é uma doença sexualmente transmissível, pois pode ocorrer em pessoas que nunca tiveram relações sexuais.

Entre os fatores que podem causar a infecção está o fato de mulheres passarem bastante tempo com o biquíni molhado no verão. "A recomendação é que troque o biquíni e não permaneça com ele molhado depois de sair da praia ou piscina", afirma a médica ginecologista Maricy Tacla, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Além disso, os ginecologistas afirmam que é importante manter a região seca e limpa, evitar roupas apertadas e usar calcinhas de algodão. "A gente sabe que normalmente as de algodão são consideradas calcinhas de avó, mas se a mulher apresentar a candidíase é bom evitar usar as de lycra, guardá-las para momentos mais especiais", diz Sadalla.

Sintomas e tratamento

Quem desenvolve a candidíase apresenta coceira, um corrimento esbranquiçado e leitoso, parecido com nata, inchaço na parede da vagina e, em alguns casos, dor durante a relação sexual.  "Por a região estar irritada, a mulher pode também sentir incômodo e ardor ao urinar", explica Sadalla.

Nestes casos, algumas medidas podem ser adotadas, como diminuir o uso de papel higiênico, fazer a higiene local com água sempre que for urinar sem esfregar, apenas passar a toalha pra deixar a região seca, e usar roupas mais frescas. "Usar protetor de calcinha diário ou roupas mais quentes durante o calor podem favorecer a proliferação do fungo, por exemplo. Outra dica que sempre damos é que a mulher durma sem calcinha para ventilar a região", recomenda Maricy.

Quando diagnosticada com a candidíase, há dois tratamentos possíveis, que podem, inclusive, ser combinados. "Creme vaginal é bastante usado, assim como medicamente antifúngico via oral", explica Sadalla.

Para homens infectados, o tratamento recomendado é apenas via oral. O paciente pode apresentar coceira e vermelhidão no pênis quando está com candidíase.

"No caso de casal com parceira que apresenta a candidíase recorrente, ou seja, que vai e volta, é preciso que os dois façam o tratamento", explica Maricy.

Imunidade

A candidíase também tem a ver com imunidade baixa e é comum ocorrer em mulheres grávidas ou pacientes com doenças que baixam as defesas do corpo, como a Aids e a diabetes.

"Em grávidas ocorre porque a imunidade fica mais baixa neste período, além de o Ph da vagina ficar mais ácido (e a Candida gosta desta condição também). O tratamento, neste caso, deve ser feito apenas local. Não devem tomar remédio via oral", explica Sadalla.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos