Topo

Bebê Sofia faz 1º passeio ao ar livre nos EUA; transplante não está marcado

Eduardo Schiavoni

Do UOL, em Americana (SP)

07/07/2014 09h58

Seis meses depois de nascer com uma síndrome rara que compromete as funções do sistema excretor, a bebê Sofia Gonçalves de Lacerda deu o seu primeiro passeio ao ar livre no domingo (6). A cena, registrada pela família, foi divulgada através do Facebook.

O passeio aconteceu nos jardins do Jackson Memorial, em Miami, hospital onde ela irá passar pelo transplante de seis órgãos, necessário para salvar a vida dela.

“Três dias aqui no Jackson Memorial e tivemos autorização para sair e visitar os jardins. Ela está ficando quatro horas sem a nutrição”, disse Gilson Gonçalves da Silva, o pai da menina, que gravou o passeio. Até o começo da manhã desta segunda-feira (7), mais de 7.500 pessoas haviam curtido a página no Facebook.

Sofia é portadora da Síndrome de Berdon, uma doença rara que provoca problemas no intestino, na bexiga e no estômago. Por conta disso, ela não pode ingerir alimentos nem mesmo saliva. Ela também não utiliza o sistema excretor. A alimentação é feita de forma intravenosa.

Ela já passou por três cirurgias desde que nasceu para amenizar o problema, mas a cura só é possível com os transplantes. Os procedimentos serão feitos no Jackson Memorial Medical e custam R$ 2,4 milhões, pagos pela União, que foi obrigada pela Justiça a pagar o tratamento e qualquer outro gasto extra que surgir. O dinheiro já foi depositado na conta do hospital.

Sol

No vídeo, de pouco mais de dois minutos, Sofia aparece acordada em alguns momentos e dorme em outros. Quando está acordada, parece se incomodar com a luz do sol. “Primeira vez que você vai na rua e dorme? Não pode”, brincou a mãe durante a filmagem.

A todo momento, os pais da menina tentam chamar a atenção dela para aspectos que, para outras crianças da mesma idade, seriam corriqueiros. “Vira ela para o verde, para ela ver o verde”, diz o pai, em determinado momento, referindo-se a plantas que estão nos jardins do hospital.

Exames

Sofia chegou aos Estados Unidos na quarta-feira, depois de uma batalha judicial que demorou seis meses no Brasil. Na mais importante das decisões, em 28 de maio, o Tribunal Regional Federal de São Paulo determinou que a União arcasse com o pagamento para que o transplante fosse realizado.

Após a decisão, Sofia deixou o Hospital das Clínicas de São Paulo e foi transferida para o Hospital Samaritano, onde seguiu internada até quarta-feira. A família de Sofia chegou a pedir, em 16 de junho, a prisão do ministro da Saúde por descumprir a decisão, que vencera em 10 de junho, mas, no dia 17, o pagamento foi feito pela União.

O embarque para os Estados Unidos ocorreu na madrugada de quarta-feira. No mesmo dia, Sofia foi internada em Miami e passou, desde então, por uma bateria de exames. Segundo o médico brasileiro Rodrigo Vianna, a análise dos exames está sendo feita e não há previsão sobre quando os transplantes serão realizados, já que é necessário esperar por um doador compatível com Sofia. A expectativa é que a família fique pelo menos dois anos nos Estados Unidos.

Notícias