PUBLICIDADE
Topo

Bebê Sofia passará por cirurgia no coração antes de transplante nos EUA

Eduardo Schiavoni

Do UOL, em São Paulo

16/07/2014 11h56

A bebê Sofia Gonçalves de Lacerda, de seis meses, que aguarda por transplante nos Estados Unidos, terá que passar por uma operação cardíaca para a correção de um sopro antes de receber seis órgãos. A data para o procedimento deve ser definida entre esta quarta (16) e quinta-feira (17).

“Os médicos querem resolver esse problema de sopro no coraçãozinho dela para que ela chegue aos transplantes com uma condição melhor”, contou Patrícia Lacerda, mãe da menina.

Sofia é portadora da Síndrome de Berdon, uma doença rara que provoca problemas no intestino, na bexiga e no estômago. Por conta disso, ela não pode ingerir alimentos nem mesmo saliva. Ela também não utiliza o sistema excretor. A alimentação é feita de forma intravenosa.

A menina passa por uma bateria de exames, muitos dos quais ainda estão sendo analisados. Não há previsão sobre quando os transplantes serão realizados, já que é necessário esperar por um doador compatível com Sofia.

Segundo Patrícia, o problema no coração foi detectado ainda no Brasil, pelo HC (Hospital das Clínicas) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), mas a decisão pela operação foi tomada após outros exames, mais detalhados, realizados nos Estados Unidos.

Segundo ela, a correção a ser feita no coração de Sofia é de pequeno porte, com dois milímetros de tamanho. “A cirurgia fará a correção. Será a primeira de muitas batalhas de a Sofia vai vencer”, disse Patrícia.

Uma reunião a ser realizada hoje pelos médicos do Jakcson Memorial, hospital onde Sofia está internada, irá definir a data do procedimento, mas é provável que ele seja feito ainda nesta semana, segundo Patrícia.

A reportagem tentou contato com o médico brasileiro Rodrigo Vianna, que fará o transplante, mas não conseguiu falar com ele até o fechamento desta matéria.

Histórico

Ela já passou por três cirurgias desde que nasceu para amenizar o problema, mas a cura só é possível com os transplantes. Os procedimentos serão feitos no Jackson Memorial Medical e custam R$ 2,4 milhões, pagos pela União, que foi obrigada pela Justiça a pagar o tratamento e qualquer outro gasto extra que surgir. O dinheiro já foi depositado na conta do hospital.

Sofia irá precisar do transplante de seis órgãos do sistema digestivo. Segundo o médico brasileiro Rodrigo Vianna, que fará o procedimento, trata-se da maior cirurgia possível de ser feita em um ser humano. será necessário transplantar estômago, duodeno, pâncreas, intestino delgado e possivelmente intestino grosso, além do fígado . Apesar disso, o especialista está otimista.

Sofia embarcou para os Estados Unidos em 3 de julho depois de uma batalha judicial que demorou seis meses no Brasil. Na mais importante das decisões, em 28 de maio, o Tribunal Regional Federal de São Paulo determinou que a União arcasse com o tratamento da bebê e pagasse o transplante.

Após a decisão, Sofia deixou o Hospital das Clínicas de São Paulo e foi transferida para o Hospital Samaritano, onde seguiu internada até quarta-feira. A família de Sofia chegou a pedir, em 16 de junho, a prisão do ministro da Saúde por descumprir a decisão, que vencera em 10 de junho, mas, no dia 17, o pagamento foi feito e ela embarcou assim que os problemas burocráticos foram resolvidos.

 A expectativa é que a família fique pelo menos dois anos nos Estados Unidos.